Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 10 Outubro 2017 18:19 Última modificação em Sexta, 13 Outubro 2017 17:37

Sanções dos EUA congelam envio de medicamentos à Venezuela

Avalie este item
(0 votos)
País: Venezuela / Direitos nacionais e imperialismo, Saúde / Fonte: AVN

As sanções econômicas impostas pelo governo dos Estados Unidos contra a Venezuela congelaram o envio de mais de 300 mil doses de insulina para os venezuelanos que sofrem de diabetes, denunciou neste domingo o presidente Nicolás Maduro.

"As sanções de (Donald) Trump não nos permitem importar os medicamentos que estávamos importando com dólares dos Estados Unidos", explicou, acrescentando que foi necessário importar de outros países "porque nos congelaram 300.012 insulinas que vinham para a Venezuela".

Maduro responsabilizou integrantes da oposição que realizaram um "giro" por diferentes países do continente, para solicitar mais ações contra a Venezuela, com o objetivo de criar um cenário de caos e desestabilização que permita uma intervenção estrangeira.

Em 25 de agosto, o presidente estadunidense, Donald Trump, assinou uma ordem executiva que proíbe negociações com o Estado venezuelano e Petróleos de Venezuela (Pdvsa), principal empresa do país.

A arremetida, executada semanas depois de que Trump ameaçasse com uma possível opção militar contra a nação sul-americana, proíbe contratar nova dívida emitida pelo Estado e Pdvsa, além de transações em certos bônus que estejam em mãos do setor público venezuelano e o pagamento de dividendos.

O decreto do governo Trump ampara a medida sob a presunção de que a "ditadura de Maduro" segue privando o povo de bens essenciais, prende opositores e impede a liberdade de expressão. 

Também afirma que a decisão de criar uma Assembleia Nacional Constituinte —eleita por votação direta, secreta e universal por mais de oito milhões de venezuelanos—, "usurpa" as funções da Assembleia Nacional, e representa uma ruptura da ordem constitucional.

O governo Trump alega ainda que a "a má gestão de Maduro" e "o saqueio desenfreado dos ativos de sua nação" levaram a Venezuela a "estar cada vez mais perto do não cumprimento".

"Seus funcionários agora estão recorrendo a esquemas de financiamento opacos e liquidando os ativos do país a preços de venda de fogo", afirma o documento.

Antes da emissão deste decreto, a Casa Branca anunciou uma série de sanções contra funcionários e ex-funcionários venezuelanos, como o vice-presidente Tareck El Aissami, o procurador-geral, Tarek William Saab, além dos constituintes Iris Valera, Adán Chávez, Hermánn Escarrá e Érika Farías, por exemplo.

Além destas sanções, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, prometeu aumentar a pressão contra a Venezuela.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar