Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Segunda, 13 Novembro 2017 13:16 Última modificação em Sexta, 17 Novembro 2017 19:35

Para combater as “reformas” dos golpistas, está na ordem do dia a criação de sindicatos nacionais

Avalie este item
(2 votos)
País: Brasil / Laboral/Economia / Fonte: Causa Operária

Com a aprovação da “reforma” trabalhista pela direita, a qual na prática acaba com a CLT, transferindo maior poder aos patrões, por meio do chamado negociado sobre o legislado, vai ser muito difícil que a maior parte dos sindicatos do país consigam manter as garantias trabalhistas por meio da negociações com os capitalistas.

O problema consiste na grande fragmentação sindical que há no país. Se para os sindicatos maiores já será negociar em pé de igualdade a manutenção dos direitos trabalhistas, para os sindicatos menores, essa negociação ficará inviabilizada, os patrões irão impor goela abaixo a sua política de destruição das condições de trabalho.

Nesse sentido, um dos principais alvos da reforma trabalhista, assim como da terceirização é a organização sindical e política da classe trabalhadora.  A primeira estabeleceu que os patrões podem passar por cima de qualquer lei no objetivo de atender seus interesses, o que, consequentemente, diminui a força de pressão dos sindicatos.

Já a segunda, ao terceirizar uma determinada categoria, acaba dissolvendo também a sua organização sindical, uma vez que um trabalhador terceirizado  não tem sindicato. O que existe é um sindicato fictício, pois a estrutura sindical de terceirizados não é de um sindicato com as características próprias de uma organização de luta dos trabalhadores.

Um dos fatores que facilita esse ataque dos golpistas é a estrutura sindical do país. No Brasil,por exemplo, os trabalhadores de uma empresa estão divididos em vários sindicatos, o que é algo irracional. Nesse sentido, para enfrentar o aprofundamento do ataque dos golpistas, é necessário, lutar pela organização de sindicatos nacionais de todas as categorias de trabalhadores. Somente uma maior unidade da classe trabalhadora poderá impor um freio aos ataques dos golpistas.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar