Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 14 Novembro 2017 20:46 Última modificação em Sexta, 17 Novembro 2017 19:36

Venezuela exige à UE frear ações que afetam diretamente a população

Avalie este item
(1 Voto)
País: Venezuela / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: AVN

O governo venezuelano exigiu nesta terça-feira que os países membros da União Europeia (UE) freiem as recentes ações unilaterais contra a economia venezuelana, já que afetam diretamente a população e representam um retrocesso para o processo de diálogo entre representantes do governo e da oposição.

Durante um encontro com representantes diplomáticos de países da UE credenciados na Venezuela, na sede da chancelaria, em Caracas, o ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, considerou "insólitas" as sanções, que continuam a mesma estratégia de intervenção realizada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

"Em que Isso ajuda ao diálogo, em que isso ajuda a Venezuela, em que isso ajuda o povo, em que isso ajuda centenas de milhares de portugueses, espanhois, italianos e de outras nações aliadas europeias que vivem e convivem e vivirão e convivirão conosco nesta pátria bolivariana?", questionou.

O chanceler recordou que estas sanções foram aplicadas quando se realizava a reunião desta segunda-feira entre a comissão presidencial venezuelana e detentores de bônus, para renegociar os termos da dívida externa da República e de Petróleos de Venezuela S.A. (Pdvsa).

Arreaza afirmou que as ações do governo, como o diálogo e o processo de renegociação da dívida externa, são afetadas por estas sanções. Também comentou sobre a disposição do governo venezuelano de trabalhar conjuntamente para superar este momento.

"Queremos superar este momento, queremos que com a diplomacia e com o diálogo voltemos ao entendimento entre nossos governos, ao respeito em nossos assuntos internos, de vocês conosco, fundamentalmente. Nós não nos imiscuimos nos assuntos internos dos países europeus. Queremos reativar nossas agendas políticas, econômicas, acadêmicas, tecnológicas, no âmbito agrícola", disse.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar