Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Terça, 27 Novembro 2018 06:28

Mais médicas cubanas hoje Destaque

Avalie este item
(0 votos)
País: Cuba / Saúde / Fonte: Prensa Latina

As cubanas constituem hoje 69% dos trabalhadores da Saúde Pública e Assistência Social, pois assumiram o repto da formação de médicos e enfermeiras, carreiras vedadas no passado a seu gênero.

Milhares de jovens cubanas tomaram em suas mãos essa nobre missão comprometidas a erradicar numerosas doenças curáveis que a cada ano provocavam a morte ou deixavam sequelas nos setores mais pobres da sociedade.

Em 1953 só tinha 403 médicas em Cuba, 6,5% dos galenos existentes, e a carência se agravou pelo abandono do país de uns três mil, a metade dos profissionais desse ramo, depois do triunfo da Revolução Cubana. Desde 1959 até o curso 2016-2017, as universidades graduaram 331.518 médicos, em benefício de toda a população que desfruta dos serviços de saúde, gratuitos e de alta qualidade.

Em 1964 uma das primeiras graduadas foi Pura Avilés Cruz (nascida em 1935), destacada Professora Titular e Professora Consultante, Doutor em Ciências Médicas do Hospital Provincial Docente V. I. Lenin, da cidade de Holguín.

Especialista de segundo grau em anestesiología e reanimação e em cuidados intensivos e emergências, tem a condição de Heroína do Trabalho da República de Cuba. Também foi deputada à Assembleia Nacional na VII Legislatura (2008-2013).

Rosa Elena Simeón Negrín (1943-2004), que fosse Presidenta da Academia de Ciências de Cuba e Ministra de Ciência, Tecnologia e Meio ambiente, era formada de medicina (1967) e após ciências veterinárias.

Notável científica e deputada, foi especialista em virologia da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e representou a Cuba na Cimeira da Terra, Rio de Janeiro, 1992.

María Felicia Casanova González é a primeira doutora em Ciências Médicas de Cienfuegos e uma cientista notável; especialista de segundo grau em Neurofisiologia e Professora Titular, preside atualmente o Conselho Científico do Hospital Pediátrico Provincial Paquito González Cueto.

Ao redor de uma veintena de médicas e enfermeiras integram a IX Legislatura da Assembleia Nacional no 2018, e ocupam importantes responsabilidades em sua vida trabalhista.

Estão presentes as estudantes de medicina Yanet Pupo Estupiñán (22 anos), Presidenta da Federação Estudiantil Universitária (FEU) na Universidade de Ciências Médicas de Holguín, e Anabel Treto da Paz (23 anos), de igual cargo na Universidade de Ciências Médicas de Santa Clara.

A elas se acrescentam as jovens profissionais Arletis Igreja Romero (27 anos), assistente do Hospital Fausto Javier, de Guantánamo, e Marie Castillo Fiallo (26 anos), enfermeira de Neurocirurgia do Hospital Pediátrico Juan Manuel Márquez, de Havana, junto a um grupo de maior experiência.

A deputada Niurka Rosa Aguilera Batallan (52 anos), Metodóloga de Postgrado na Direção Municipal de Saúde de Holguín, tem sido desde Médico Geral Integral (MGI) até diretora de Policlínico. Cumpriu missões internacionalistas em Zâmbia e Namíbia e integrou o Contingente Henry Revé no Guatemala.

Outra destacada profissional da Saúde é Miladys Orraca Castillo (52 anos), especialista de segundo grau em Genética Clínica, mestrado em Atenção Integral ao Menino, Doutora em Ciências e Professora Titular.

Orraca preside a Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos S.A; esteve à frente da Direção Provincial de Saúde Pública em Pinar do Rio e integra o Comitê Central do Partido Comunista de Cuba desde o 2011.

Galina Galcerán Chacón (49 anos) é também médico e diretora do Hospital Pediátrico Octavio da Concepção da Pedraja. Dantes trabalhou no Hospital Pediátrico de Holguín e foi especialista de Primeiro grau em Pediatria no Policlínico Mártires de Calabazar, em Havana.

Belkis Alfonso Biart (47 anos), Diretora da Clínica Estomatológica 27 de Novembro, Colón, Matanças. Cumpriu missão internacionalista em Venezuela.

Rivil Morejón Neira (47 anos), outra deputada, dirige o Policlínico Dionisio Sainz, de Madruga, Mayabeque. Master em Atenção Integral à mulher. Cumpriu missão internacionalista em Venezuela durante três anos.

Arelys Falcón Hernández (49 anos), Rectora da Universidade de Ciências Médicas de Cienfuegos, especialista de Segundo Grau em Medicina Intensiva e Emergências.

Lourdes Milagres Caballero Garzón (46 anos), Médico Especialista em Medicina Geral Integral, Policlínico José Martí, Santiago de Cuba. Cumpriu missão médica em África, Belize e Brasil.

Yenisey Mora Férguson (36 anos), Especialista em Nefrologia do Hospital Provincial de Cego de Avila. Cumpriu missão em Venezuela.

Tania Cabrera Mariño (49 anos), enfermeira do Policlínico Mario Muñoz. Cumpriu missões em Venezuela e Haiti.

Zulema Currais Aroche (54 anos), enfermeira do Consultório 9, Policlínico Manuel Laço, Pinar do Rio. Cumpriu duas missões internacionalistas, em Etiópia e depois em Venezuela.

Estela Cristina Lua Morais (54 anos), especialista em Medicina Geral Integral, Mestrado em ciência de II Grau e Professora assistente, assumiu como nova presidenta da Comissão de Saúde e Desporto da Assembleia Nacional de Cuba, constituída este ano.

No Sistema Nacional de Saúde trabalhou no Programa do Médico e a Enfermeira da Família, Diretora de Policlínico, Diretora de Atenção Primária, de Atenção Médica e Vice-ministra de Saúde Pública para a área de Assistência Médica e Social.

Lua Morais foi Chefa da Missão Médica em Brasil, contingente integrado por 60% de mulheres.

Segundo afirmou recentemente o chanceler cubano Bruno Rodríguez, elas não têm tido conserto em laborar em lugares de pobreza extrema, em favelas de Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador de Bahia, nos 34 Distritos Especiais Indígenas, em particular, a Amazônia.

Para perto de 20 mil cubanos integraram o Programa durante cinco anos nos que atenderam a 113 milhões 359 mil pacientes, em mais de três mil 600 municípios, um universo de atenção até 60 milhões de brasileiros, de acordo com estudos e controles do Ministério da Saúde de Cuba.

Esta dedicação recebeu reconhecimento dos governos federais, estaduais e municipais desse país sul-americano, sua população, e a Organização Pan-americana da saúde (OPS).

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar