Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 13 Janeiro 2019 13:27 Última modificação em Sexta, 25 Janeiro 2019 18:02

Bolívia denunciará Brasil à ONU por 'racismo de Estado'

Avalie este item
(0 votos)
País: Bolívia / Antifascismo e anti-racismo / Fonte: Opera Mundi

Motivo é a declaração depreciativa sobre índios e Bolívia feita pelo deputado Rodrigo Amorim (PSL); de acordo com o vice-ministro de Descolonização boliviano, "com Bolsonaro, o racismo é uma política de Estado no Brasil"

O vice-ministro de descolonização da Bolívia, Félix Cárdenas, informou à imprensa boliviana nesta terça-feira (08/01) que denunciará o Brasil à Organização das Nações Unidas (ONU) por “racismo de Estado”, após ofensas feitas pelo deputado Rodrigo Amorim, do partido do presidente, Jair Bolsonaro

De acordo com Cárdenas, a denúncia será protocolada na Revisão Periódica Anual do órgão, quando os países membros analisam situações discriminatórias e que envolvem os direitos humanos.

O motivo é a declaração proferida pelo deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ) na última semana, quando comentava a situação da Aldeia Maracanã, no Rio de Janeiro. “Quem gosta de índio, que vá para a Bolívia, que, além de ser comunista, ainda é presidida por um índio”, disse, em tom depreciativo, o parlamentar, que é o mesmo que quebrou uma placa com o nome da ex-vereadora assassinada Marielle Franco na Praça Floriano, em frente à Câmara Municipal.

De acordo com o vice-ministro, a fala do deputado brasileiro configura “racismo de Estado” pois foi proferida por uma autoridade e se referiu a um presidente da República. “Vamos denunciar o Brasil [...] por iniciar um processo de discriminação racista, especialmente contra a Bolívia, mas não apenas contra a Bolívia, mas contra todos os povos indígenas”, explicou.

Segundo Cárdenas, essa será apenas a “primeira” denúncia contra o Brasil pois o país teria adotado, com o presidente Jair Bolsonaro, o racismo como “política de Estado”. “É apenas o começo. Com Bolsonaro, o racismo é uma política de Estado do Brasil, do seu presidente e do seu governo”, declarou, logo após comentar as medidas do presidente eleito que colocam em risco a vida de dezenas de comunidades indígenas no país.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar