Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 20 Janeiro 2019 21:53 Última modificação em Terça, 29 Janeiro 2019 16:44

Venezuela reforça sistema público de saúde com o apoio de Cuba

Avalie este item
(0 votos)
País: Venezuela / Saúde / Fonte: Abril Abril

Na cerimónia de graduação de 214 médicos, o governo venezuelano anunciou a aprovação de recursos para o sector da Saúde e a chegada de 500 médicos cubanos, que vão integrar a Misión Barrio Adentro.

No decorrer de uma jornada de trabalho dedicada ao sistema público de saúde, que teve lugar esta quinta-feira, o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, reconheceu que há trabalho por fazer, mas também destacou o esforço que tem sido feito na formação de pessoal médico, no âmbito da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América – Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP).

A jornada incluiu a cerimónia de graduação de 214 novos médicos especialistas venezuelanos, no Forte Tiuna, em Caracas, no decorrer da qual Maduro anunciou que, ontem mesmo, chegaram ao país caribenho 500 médicos especialistas cubanos, que vão reforçar o programa social Misión Barrio Adentro – instituído por Hugo Chávez em 2003, com o apoio de Cuba.

«Quero dar as boas-vindas, de um modo especial, aos 500 novos cooperantes médicos especialistas de Cuba, que estão a chegar à Venezuela e se integram activamente no sistema de saúde pública Barrio Adentro», disse Maduro na ocasião, citado pela AVN.

Explicando as áreas concretas em que estes 500 médicos vão prestar serviço, o chefe de Estado acrescentou que, na próxima semana, outros 2000 médicos cubanos vão chegar ao país.

A este propósito criticou o governo de Jair Bolsonaro, tendo afirmado que «o fascismo brasileiro acabou com o plano de saúde [«Mais Médicos»]; nós vamos receber [os médicos cubanos] em festa, em cada bairro e comunidade».

Aposta na formação e mais investimento nas infra-estruturas

Ao atribuir os diplomas a 214 médicos formados na Universidade das Ciências da Saúde, o presidente venezuelano afirmou que é «verdadeiramente gratificante prosseguir a obra do comandante Chávez, forjar uma nova geração de profissionais da saúde», que «têm por missão prestar cuidados de saúde gratuitos e de qualidade».

«A Venezuela e países latino-americanos como Cuba ou a Nicarágua são dos poucos lugares do mundo onde existe a preocupação em formar profissionais da saúde para estarem ao serviço ao povo», destacou Nicolás Maduro, que criticou o modelo capitalista e sublinhou que a «saúde não pode continuar a transformar-se num negócio; tem de ser um direito».

A este propósito, o presidente venezuelano congratulou-se com os «esforços realizados pela Revolução Bolivariana, no sentido de construir um novo modelo que permita aos cidadãos, especialmente dos sectores populares, estudar e ser profissionais, contribuir para a sociedade», indica a AVN.

Aos médicos agora graduados, lançou o repto de prosseguirem a formação, para assim «elevarem a qualidade do serviço de saúde público».

Ainda nesta cerimónia, Nicolás Maduro deu conta da aprovação de novas verbas para a reparação de infra-estruturas no sector da Saúde – em Cunamá (estado de Sucre), Chuao (estado de Miranda) e Caracas –, bem como para a reactivação da unidade produtora de hemoderivados Quimbiotec.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar