Publicidade

Diário Liberdade
Quinta, 07 Fevereiro 2019 13:12 Última modificação em Domingo, 10 Março 2019 22:47

Um milhom na concentraçom do Partido Comunista – Marxista da Índia, em Calcutá

Avalie este item
(0 votos)
País: Índia / Resenhas

Um grande parque público na cidade de Kolkata (Calcutá) reuniu domingo, dia 3 de fevereiro, umha concentraçom multitudinária, que pode ter atingido o milhom de participantes na capital do Estado de Bengala Ocidental.

A mobilizaçom contra o atual governo indiano, da direita religiosa de Narendra Modi, juntou um mar vermelho reclamando “um governo laico e democrático”, numha concentraçom de grandes dimensons que ocorre poucos dias depois do fim da grande greve que se espalhou por todo o grande país asiático, com participaçom de 150 milhons de trabalhadoras e trabalhadores. Foi a terceira greve geral contra o governo reacionário, fundamentalista hinduísta e liberal presidido por Modi, cujo partido, o Partido do Povo Indiano, está no poder desde 2014.

A concentraçom de domingo, convocada como preparaçom das eleiçons de abril, dá ideia da dimensom da que maior massa de trabalhadores e trabalhadoras do mundo, e que continua em crescimento, num país de mais de 1.300.000.000. Contou com participaçom nom apenas do PCI (M), mas também do Bloco Avante e do Partido Socialista Revolucionário, que formam umha Frente de Esquerda com crescente influência mobilizadora e aspiraçons eleitorais.

O PCI (M) foi fundado em 1964, como cisom do Partido Comunista pró-soviético, que existia no país desde 1920 e continua a existir até hoje. Tendo governado no importante estado de Bengala Ocidental durante décadas, as suas posiçons tenhem vindo a moderar o seu maoismo. De facto, existe na atualidade um movimento armado maoista em diversos estados, por fora dos partidos comunistas maioritários.

O Estado de Kerala, no sul do país, é governado polo PCI (M) junto a outros setores da esquerda, constituindo um exemplo dos mais elevados indicadores de desenvolvimento social e recuo das desigualdades na Índia.

;

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar