Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 06 Novembro 2018 14:30

Com cassinos, Macau irá superar Qatar como lugar com maior PIB per cápita do mundo

Avalie este item
(0 votos)
País: China / Resenhas

Próximo país a sediar a Copa do Mundo, em 2022, o Qatar é hoje o lugar mais rico do mundo, com um poder de compra de 128,7 mil dólares internacionais anuais por pessoa, distribuídos contudo com fortes desigualdades. Mas segundo dados divulgados recentemente pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), o país perderá o posto para Macau - que ocupa hoje o segundo lugar no ranking com US$ 122,49 per capita - até 2020.

A região, que já pertenceu a Portugal e hoje é uma Região Administrativa Especial da China, é independente desde 1999. De lá para cá, com os abundantes cassinos que existem e prosperam no local, Macau já apresentou um crescimento de 413% em seu Produto Interno Bruto (PIB) - somente em 2017, o crescimento foi de 9,3%, enquanto apenas no primeiro trimestre de 2018 já cresceu 7%. Único lugar da China onde o jogo é permitido - como os populares jogos online do 1xbet -, Macau alcançará o equivalente a US$ 143.116 por pessoa nos próximos dois anos, enquanto o Qatar alcançará US$ 139.151 per capita no mesmo período.

Quais são os lugares mais ricos do mundo?

Na mais recente lista divulgada pelo FMI sobre os países mais ricos do mundo atualmente, Qatar lidera com um PIB per capita de US$ 127,73; seguido por Macau, com US$ 121,57. Nas próximas posições do Top 10 encontram-se Luxemburgo (US$ 110,03), Singapura (US$ 97,27), Irlanda (US$ 79,32), Brunei (US$ 79,12), Noruega (US$ 73,51), Emirados Árabes (US$ 68,14), Kuwait (US$ 66,17) e Hong Kong (US$ 64,05), respectivamente.

Até 2020, estima-se que este ranking seja alterado, ainda que a mudança não seja tão drástica: Macau deve liderar com US$ 143,12; seguido pelo atual líder Catar, com US$ 138,15. A seguir devem ficar Luxemburgo (US$ 118,15), Cingapura (US$ 105,80), Brunei (US$ 94,37), Irlanda (US$ 87,87), Noruega (US$ 78,54), Emirados Árabes (US$ 71,61), Kuwait (US$ 70,93) e Hong Kong (US$ 70,35). Segundo os dados divulgados pelo FMU, o PIB per capita de Macau deve crescer ainda mais depois de 2020, alcançando US$ 172.681 até 2023.

Qual a situação dos cassinos no Brasil?

Atualmente no Brasil existem diversas tramitações de Projetos de Lei que visam a regulamentação dos cassinos, mas elas não costumam ir para frente. Nesse quesito, o país ainda está muito atrás de várias potências capitalistas mundiais que viram nos cassinos uma oportunidade de lucro e decidiram regulamentar os jogos. Nos Estados Unidos, por exemplo, os cassinos empregam cerca de 1,7 milhão de trabalhadores, mas a expectativa é que surjam milhares de novas vagas nos próximos dez anos, gerando assim maiores mais-valias.

Por aqui, tudo indica que os lucros milionários que os cassinos poderiam gerar estão ainda longe de chegar ao Brasil. E nem mesmo o exemplo de Portugal, cujo PIB já cresceu cerca de 4% desde que os jogos foram legalizados, parece acabar de gerar uma mudança a respeito. Proibidos desde 1946, o Brasil é um dos três países não-islâmicos que proíbem os jogos, sendo os outros dois Cuba e Islândia, ambos apresentando IDH alto – a Islândia é o 6º país do mundo.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar