Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 25 Março 2019 07:05 Última modificação em Domingo, 07 Abril 2019 22:37

Fundalatin condena na ONU omissão de Bachelet sobre vítimas das guarimbas na Venezuela

Avalie este item
(0 votos)
País: Venezuela / Reportagens / Fonte: AVN

A presidenta da Fundação Latino-Americana pelos Direitos Humanos e o Desenvolvimento Social (Fundalatin), María Eugenia Russián, rechaçou que a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, não visibilizou as vítimas das guarimbas em seu relatório oral sobre a Venezuela.

No relatório apresentado, Bachelet condenou a suposta “redução do espaço democrático”, mas não mencionou que grupos extremistas da oposição venezuelana assassinaram dezenas de pessoas e utilizaram o caminho da força para derrubar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

A Fundalatin condenou que “a atualização apresentada (por Bachelet) invisibilize as ações de violênciaexecutadas por setores da oposição venezuelana, que deixaram um saldo lamentável de vítimas que foram queimadas vivas, degoladas ou simplemente assassinadas por estes grupos antigovernamentais. Nenhum balanço objetivo da situação venezuelana pode ignorar esta realidade”, disse a presidenta do organismo, destaca a chancelaria em sua página Web.

Russián, com status consultivo no Conselho de Direitos Humanos, argumentou que o relatório da Alta Comissária não aprofundou os efeitos do bloqueio econômico e financeiro que o governo dos Estados Unidos executa contra a Venezuela.

“As perdas econômicas destas medidas coercitivas somam mais de US$21 bilhões, que equivalem à importação de remédios e alimentos durante cinco anos para todos os venezuelanos. A causa determinante da situação atua na Venezuela é o bloqueio econômico e financeiro. Preocupa-nos que a Alta Comissária tenha omitido esta situação”, destacou.

A ONG exortou o Conselho de Direitos Humanos e a Alta Comissária a somar-se ao esforço para "reconhecer as medidas coercitivas unilaterais como crimes de lesa humanidade que afetam de maneira sistemática e deliberada toda a população civil. 

Russián manifestou sua surpresa de que Bachelet não tenha sancionado a “grosseira ameaça de intervenção militar por parte dos Estados Unidos, que viola a paz e a estabilidade, não somente da Venezuela mas da região”.

“Todos os órgãos do sistema das Nações Unidas devem atuar em defesa da Carta da ONU e rechaçar o uso da força contra qualquer país, inclusive a Venezuela”, asseverou.

A Fundalatin solicitou ainda à Alta Comissária visitar a Venezuela para reunir-se com os setores sociais do país sul-americano e perceba a realidade dos direitos humanos.

“Sem dúvida, sua visita deixará um saldo positivo para atender os desafios e consolidar os progressos do país neste tema”, ressaltou.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar