Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 29 Julho 2018 16:50 Última modificação em Sexta, 03 Agosto 2018 06:07

Adolescente ícone da resistência palestina deixa a prisão

Avalie este item
(0 votos)
País: Palestina / Repressom e direitos humanos / Fonte: Carta Capital

A adolescente Ahed Tamimi, de 17 anos, ícone da resistência palestina contra a ocupação israelense, foi libertada na manhã deste domingo 29 depois de passar quase oito meses presa em Israel. A garota foi detida em dezembro de 2017, após enfrentar soldados israelenses no pátio de sua casa, na Cisjordânia - imagens que viralizaram no mundo inteiro.

A mãe de Ahed, também detida ao se envolver no confronto, deixou a prisão Sharon, em Israel, neste domingo. Elas encontraram familiares na cidade de Nabi Saleh, Cisjordânia, onde vivem.

Emocionada, ao chegar ao local, Ahed abraçou integrantes de sua família e foi seguida no caminho até sua casa por uma multidão. "Queremos viver livres", gritavam manifestantes.

A garota agradeceu o apoio e, diante de um mar de câmeras, conversou com jornalistas. "A resistência continua até que a ocupação termine", declarou.

A jovem também encontrou amigos que perderam familiares no confronto com soldados israelenses. Em seguida, se dirigiu à cidade de Ramallah, onde colocou flores no túmulo do ex-presidente palestino Yasser Arafat. Na sede da Autoridade Palestina, foi recebida pelo presidente Mahmoud Abbas.

Confronto que viralizou

Ahed Tamimi ficou conhecida mundialmente depois de que um vídeo em que ela e a prima, Nour, enfrentam dois soldados israelenses. As imagens fizeram a volta do planeta e a Ahed, com apenas 16 anos na época, foi presa dias depois. Nour foi libertada em março.

Para os palestinos, a jovem é considerada o símbolo da luta contra a ocupação israelense em territórios palestinos. Para muitos israelenses, a garota foi, no entanto, instrumentalizada por sua família e já havia se envolvido em outros incidentes violentos com soldados.

Para os defensores dos direitos humanos, o caso de Ahed Tamimi ajudou a destacar irregularidades dos tribunais militares israelenses, que praticamente só condena palestinos.

"Prendendo uma criança durante oito meses - por convocar protestos e dar tapas em um soldado - reflete uma discriminação endêmica, a ausência de um procedimento oficial e um tratamento doentio às crianças. Ahed Tamimi está livre, mas centenas de crianças palestinas continuam presas com pouca atenção a seus casos", tuitou Omar Shakir, diretor da ONG Human Rigts Watch em Israel.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar