Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 12 Julho 2016 15:26 Última modificação em Terça, 12 Julho 2016 16:18

Em Angola, 15+duas dão ultimato: “Devolvam os nossos bens ou vamos ao Palácio”

Avalie este item
(0 votos)
País: Angola / Repressom e direitos humanos / Fonte: Central Angola 7311

Depois de todas as peripécias a que foram submetidos os activistas e os seus familiares com o encarceramento compulsivo e injustificado de jovens que cometeram o grave crime do pensamento dissonante, continuam estes sem ter acesso aos bens que foram apreendidos de forma igualmente abusiva (sem mandado competente) pelos SIC, a maior parte dos quais nunca chegaram a ser usados como matéria de prova no infâme processo que ficou conhecido como 15+2;

Depois de pessoas que nada tinham a ver com o processo verem igualmente confiscados os seus bens, bens que utilizam para trabalhar, para conquistar a sua fonte de rendimento, bens que nunca chegaram a ser arrolados como provas fosse do que fosse e que continuam até hoje sem ser devolvidos;

Depois de terem sido restituídos os pertences do activista Nuno Álvaro Dala após prolongada greve de fome, incluindo o computador que supostamente foi usado como matéria de prova;

Depois de, na passada quinta-feira, se terem deslocado à 14ª secção do TPL onde foram julgados, se depararem os activistas com a incompletude do material que foi confiscado das suas residências e receberem como resposta que “o que não está aqui o SIC não mandou”;

Decidiram estes remeter uma carta para as autoridades competentes para que estas ponham um fim definitivo a este baile indesejado com efeito imediato.

“Poderá convir que mais de 370 dias após o início desta embrulhada judicial estamos com pouca paciência para continuar a dançar a interminável valsa do “volte amanhã enquanto aguardamos as ordens superiores”. Solicitamos por isso, com todo o respeito que ainda nos sobra, que se digne a baixar uma ordem clara e definitiva a quem quer que seja que esteja a obstaculizar a aplicação cabal da lei.”, lê-se na carta endereçada ao Juiz-Presidente do Tribunal Supremo.

Estipulam para o efeito um prazo de dois dias após a entrega da carta e deixam o alerta que, caso o assunto não seja arrumado dentro desse prazo “vamos marchar até à Presidência da República pois, pelos vistos, José Eduardo é a única pessoa que tudo decide neste país.”

Abaixo a acusação de recepção da PGR e do TS.

IMG_0875

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar