Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 21 Mai 2018 05:28 Última modificação em Sexta, 25 Mai 2018 19:41

Acompanhantes internacionais definem eleição na Venezuela como cívica e livre

Avalie este item
(1 Voto)
País: Venezuela / Reportagens / Fonte: AVN

Nicolás Maduro foi reeleito presidente da Venezuela na noite desse domingo (20), com 67,7% (5.823.728 de votos). Ele ficou a frente de Henri Falcón, seu principal rival nessas eleições, que obteve 21% dos votos (1.820.728).

O processo eleitoral foi caracterizado de cívico pelos acompanhantes internacionais presentes no país, que fizeram seguimento da votação para presidente da República e integrantes de 23 conselhos legislativos estaduais (assembleias estaduais).

O eurodeputado espanhol, Javier Couso, observou a votação no liceu Miguel Antonio Caro em Caracas, onde ressaltou o civismo, normalidade e liberdade do povo ao exercer o direito ao voto.

Couso afirmou que não havia razões para que a União Europeia não enviasse uma comissão para presenciar a jornada.

Entre o grupo de acompanhantes estava o ex-presidente equatoriano, Rafael Correa, que destacou a alta participação, e considerou a eleição uma "festa da democracia".

"As eleições venezuelanas acontecem com absoluta normalidade. Fui a quatro colégios eleitorais. Fluxo permanente da cidadania, pouco tempo de espera e para exercer o voto. Sistema muito moderno com duplo controle. Pelo que vi, impecável organização", disse em sua conta no Twitter.

Já o jornalista argentino, Carlos Aznarez, elogiou a transparência do sistema eleitoral venezuelano, que classificou de confiável e legítimo em comparação com os sistemas usados em outras nações.

"Estou surpreso com a transparência deste processo. Para nós, que viemos de países onde se vota de outra maneira, é surpreendente ver como aqui se vota muito rápido e fácil, característica que coincide com uma grande transparência", afirmou durante uma transmissão do canal Venezolana de Televisión (VTV).

O diretor da revista e portal web Resumen Latinoamericano reiterou que a Venezuela é um exemplo e orgulho para a América Latina, por ter se destacar no mundo como um país onde reina a democracia e demonstra a firmeza ante campanhas de descrédito.

Outro acompanhante foi o ex-presidente espanhol José Luis Rodríguez Zapatero, que rejeitou os questionamentos e chamados a desligitimar o sistema eleitoral venezuelano feito por alguns setores políticos.

Zapatero alertou que estas acusações representam um fator de risco para a estabilidade da nação, motivo pelo qual fez um chamado à paz, ao diálogo e ao consenso.

Acompanhantes visitaram regiões

Em Mérida, Alfredo Arévalo, integrante do Conselho de Especialistas Eleitores da América Latina, considerou que a jornada eleitoral aconteceu com ordem e pontualidade.

Depois de percorrer vários centros eleitorais, o acompanhante disse que os votantes compareceram com civismo.

"Vejo que as pessoas comparecem de maneira ordenada, pacífica, democrática e com muita alegria para depositar seu voto", declarou Arévalo para meios de comunicação regionais e nacionais.

Já o boliviano David Choquehuanca, definiu o sistema eleitoral como confiável e ágil, após visitar os centros de votação de Valencia, no estado de Carabobo.

"Percorremos vários colégios eleitorais e vimos tranquilidade, calma", disse Choquehuanca, que parabenizou o povo venezuelano por decidir seus problemas de forma pacífica e democrática.

Zulia foi otro estado visitado pelos acompanhantes. Lá, Claudia Espinoza, da Bolívia, e Walter Sutter, da Suíça, ratificaram a transparência das eleições realizadas neste domingo.

Após visitar centros eleitorais em Maracaibo, San Francisco, Santa Rita e La Guajira, Sutter destacou o cumprimento e respeito das normas relacionadas à jornada eleitoral que aconteceu com total normalidade.

São mais de 150 acompanhantes internacionais que participam nesta votação, entre acadêmicos, políticos, intelectuais, jornalistas e especialistas eleitorais.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar