Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 21 Outubro 2018 21:19 Última modificação em Sexta, 02 Novembro 2018 18:28

Abandonar o dólar pode salvar a Venezuela muito rápido, diz economista

Avalie este item
(2 votos)
País: Venezuela / Laboral/Economia / Fonte: Vermelho

Para enfrentar a crise econômica, a Venezuela deu mais um grande passo nesta semana.

Agora o país vai realizar operações cambiais em euro e yuans, e não mais em dólares norte-americanos. A medida busca aliviar os impactos do bloqueio econômico que os Estados Unidos começaram a aplicar contra Caracas.

Para o economista venezuelano Raúl Peñaloza, "é uma medida que já tardava e que é consequência dos ataques que a economia nacional recebe dos EUA". Ele acredita que a ação do governo foi um acerto e vai aliviar os empresários e pessoas físicas com contas no exterior, cujas operações financeiras foram bloqueadas pelas sanções norte-americanas.

O economista, que também é investigador do Сentro de Estudos da Realidade Econômica da Venezuela defende que um sistema alternativo baseado nas moedas europeia ou asiática fará o comércio fluir com mais facilidade e terá efeitos positivos para a economia venezuelana em “muito curto prazo”.

Segundo Peñaloza, a medida pode também diminuir a dependência tecnológica venezuelana dos EUA. "O mercado venezuelano passará a olhar para mercados como o europeu e o asiático, onde se adquirirão tecnologias, bem como peças de reposição e suprimentos", esclareceu.

Quanto a alguns obstáculos ligados à decisão de abandonar o dólar, o mais evidente é a necessidade de deixar de usar as contas bancárias localizadas nos EUA ou geridas por intermediários norte-americanos.

"A maioria dos importadores e exportadores venezuelanos tem suas contas internacionais localizadas nos EUA ou nos países satélites como, por exemplo, o Panamá. Isso trará pequenos atrasos até que as empresas e todo o sistema público e privado se reorientem para a Europa e a Ásia", explicou o economista.

A decisão de abandonar o dólar foi adotada em meio às medidas de pressão introduzidas por Washington contra Caracas e foi anunciada nesta terça-feira (16) pelo ministro da Indústria, Tareck El Aissami.

De acordo com o ministro, as sanções norte-americanas bloqueiam a possibilidade de continuar negociando com o dólar americano no mercado de câmbio venezuelano".

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar