Publicidade

Diário Liberdade
Sábado, 09 Fevereiro 2019 17:55 Última modificação em Segunda, 18 Fevereiro 2019 12:49

Manifestaçom contra a privatizaçom da saúde pública galega este domingo em Compostela

Avalie este item
(1 Voto)
País: Galiza / Saúde / Fonte: Diário Liberdade

Graves carências, iniciativas privatizadoras e agressons laborais justificam a adesom de numerosos coletivos à iniciativa da plataforma SOS Saúde Pública.

A dinámica de conflito no ámbito da saúde pública nom cessa na Galiza, perante a estratégia do governo do PP, que precariza empregos, retira recursos, incrementa a pressom sobre os profissionais e favorece a privatizaçom de mais serviços.

É a conjunçom de numerosas denúncias e mobilizaçons parciais em diversos setores da saúde pública galega que leva a que neste domingo se organize na capital do País umha manifestaçom nacional que tem entre os seus objetivos: o fim dos cortes e do financiamento público, a denúncia da precariedade laboral, incluindo sobrecarga crónica de tarefas e atendimento insuficiente para as pessoas usuárias, o fim dos problemas de acessibilidade a provas diagnósticas... Também se verifica a confluência de diversos conflitos e greves, como o dos PAC, as urgências do CHUS, as recentes demissons das chefias de atendimento primário, as paralisaçons semanais em centros de saúde, o conflito do serviço de ambuláncias...

O pano de fundo é a tendência privatizadora por diferentes vias, entre elas as listas de espera sem fim e o atendimento insuficiente aos pacientes por falta de tempo. Todo vale para incrementar o negócio da saúde no setor privado, ao qual se deve a direita governante na Galiza.

A falta de pessoal e recursos, que já causou mortes em serviços de urgências sem atendimento suficiente, e a dignificaçom do atendimento primário, estám também entre os pontos que dam conteúdo à jornada mobilizadora anunciada para este domingo. Forças sindicais, partidos de esquerda, coletivos profissionais e outros do movimento popular apoiam a convocatória, que parte ao meio-dia da Porta Faxeira.

Entretanto, o PP mantém o seu roteiro precarizador e privatizador graças à maioria absoluta que detém no Parlamento autonómico galego.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar