Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 06 Mai 2019 13:13 Última modificação em Sábado, 18 Mai 2019 17:10

Partido Comunista Sudanês exige fim do regime militar de transição e poder civil já

Avalie este item
(1 Voto)
País: Sudão / Institucional / Fonte: PCB

Sindicatos sudaneses estão preparando uma greve geral contra o governo militar, após falharem as negociações de transferência de poder para os civis.

O Conselho Militar de Transição foi instaurado após a queda do ex ditador Omar al-Bashir em 11 de abril, depois de quase 30 anos a frente do poder no Sudão. O Partido Comunista Sudanês vem denunciando em seus pronunciamentos oficiais que o conselho instalado não passa de uma “tentativa de abortar a revolução e impor sua autoridade para continuar com as mesmas políticas de al-Bashir” e que o mesmo conselho, possui “apoio do imperialismo e de governos reacionários da região”.

O PC Sudanês compõe a Aliança por Liberdade e Mudança, a qual, junto da Associação dos Profissionais Sudaneses, vem participando das negociações com o Conselho Militar. Ambas organizações vêm alertando para a necessidade de as massas não deixarem as ruas; as grandes manifestações já garantiram que o toque de recolher imposto pelo Conselho Militar, por exemplo, fosse suspenso.

Além da greve geral que está sendo articulada pelos sindicatos e partidos, a União Africana – organização internacional que promove integração entre os países do continente africano – deu 60 dias, a contar do primeiro de maio, para que o Conselho Militar de Transição transfira o poder para os civis, com o risco de expulsão do país da organização.

O Conselho Militar de Transição promete convocar eleições presidenciais livres em dois anos, contudo, a Aliança por Liberdade e Mudança exige que a transição seja feita pelo poder civil.

Grande Marcha e comício de um milhão exigem poder civil já

– Dezenas de milhares de manifestantes encheram as ruas de Cartum, exigindo o fim do regime militar. Entre eles muitos viajaram de todo o país para participar da marcha em defesa do poder civil.

– Pela primeira vez um grupo de juízes, em número superior a cem, em suas vestes negras oficiais, participou da passeata, exigindo o retorno ao governo civil e a um judiciário independente.

– A marcha massiva foi convocada pela Aliança por Liberdade e Mudança, após forçar a renúncia de três figuras controversas do Conselho de Transição Militar (MTC). Uma quarta figura controversa está permanecendo no MTC: o vice-líder Mohamed Hamdan Dagalo, comandante da milícia Janjaweed, acusada de promover genocídio durante a guerra civil em Darfour, que começou em 2003. O quatro generais são conhecidos como firmes defensores do deposto ditador Al Bashir e têm fortes ligações com o movimento Irmandade Muçulmana.

– O Birô Político do Partido Comunista do Sudão divulgou um comunicado, na quinta-feira, 25 de abril, destacando que o MTC está manobrando para permanecer no poder e se recusando a atender a principal demanda do povo: o poder aos representantes da população. Além disso, a declaração exige a imediata formação de um governo civil, prestação de contas e retribuição. os dirigentes comunistas convocaram todos os membros do partido e as forças da oposição a redobrarem seus esforços e aumentarem suas ações conjuntas para derrotar as manobras e conspirações dos inimigos internos, regionais e internacionais da revolução sudanesa.

– Enquanto mais de um milhão de manifestantes ocupavam a praça no QG do exército, várias centenas de manifestantes protestaram em frente à embaixada egípcia contra a intromissão do governo do Egito nos assuntos internos do país. Esta ação teve lugar depois de o Cairo ter organizado uma reunião de alguns dos líderes da União Africana que deram ao MTC três meses para regressar ao poder civil.

– O enorme comício foi organizado pelo grupo guarda-chuva: Aliança por Liberdade e Mudança.

Secretariado do Comitê Central do Partido Comunista Sudanês

26 de abril de 2019

Fonte: https://www.solidnet.org/article/Sudanese-CP-Million-Strong-March-Demand-Immediate-Civilian-Rule/

Tradução: Partido Comunista Brasileiro

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar