Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Sexta, 31 Março 2017 15:29 Última modificação em Terça, 11 Abril 2017 16:57

Movimentos e centrais paralisaram o Brasil nesta sexta-feira contra 'reformas' de Temer Destaque

Avalie este item
(1 Voto)
País: Brasil / Laboral/Economia / Fonte: Diário Liberdade

Desde a parte da manhã, diversas categorias paralisaram atividades e outras foram às ruas protestar contra as “reformas” do governo de Michel Temer, especialmente a da Previdência Social, que aumenta o tempo de contribuição para quem quiser se aposentar, mas também a terceirização.

As centrais sindicais que convocaram seus sindicatos para o ato nacional desta sexta-feira (31) contaram com a organização preparada conjuntamente pelos movimentos sociais, reunidos nas frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular. Diversos movimentos populares, como os sem teto e os sem terra, além de estudantes, participaram das manifestações de rua por todo o Brasil.

Em São Paulo, por exemplo, mais de 40 mil pessoas ocuparam a Avenida Paulista e a Rua da Consolação e marcharam até a Praça da República. O ato contou principalmente com a presença de profissionais da educação e integrantes do MTST.

O movimento sem teto também bloqueou vias da região metropolitana de São Paulo e de outros estados, como Minas Gerais e Pernambuco.

A Candelária foi o palco da concentração do ato no Rio de Janeiro. De lá, 20 mil manifestantes partiram para a Cinelândia, onde encerraram o ato na parte da noite. Pela manhã, o Levante Popular da Juventude realizou um ato em frente à sede da Rede Globo, lembrando o apoio deste monopólio das comunicações ao golpe militar de 1º de abril de 1964 e no golpe parlamentar de 2016.

Na Bahia, a capital Salvador viu a mobilização no Campo da Pólvora contar com a presença de 10 mil manifestantes. Na cidade de Feira de Santana, 6 mil foram às ruas contra a reforma da previdência.

Ao redor de 20 mil manifestantes participaram do ato em Natal, no Rio Grande do Norte.

Em Fortaleza, o protesto contra as medidas do governo do presidente Michel Temer tiveram a aderência de mais de 30 mil pessoas.

Em diversas outras cidades de todo o Brasil, entre capitais e municípios do interior dos estados, houve protestos reivindicando a queda do governo não eleito de Temer e repudiando as medidas antipopulares. Também aproveitou-se o dia para divulgar a greve geral, marcada para o próximo 28 de abril.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar