Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Sábado, 20 Agosto 2016 00:47

Camponeses e camponesas ocupam ferrovia no Espírito Santo

Avalie este item
(0 votos)
País: Brasil / Consumo e meio natural / Fonte: MST

A ocupação da ferrovia também objetiva pressionar o Conselho Monetário Nacional, para a inclusão da proposta camponesa na PL 733 que será votada em plenário do conselho na próxima quinta em Brasília.

Em resposta a morosidade do poder público estadual e federal, para resolver os problemas econômicos e sociais da agricultura camponesa familiar causados pela seca que atinge o estado há dois anos, camponeses que estavam desde a última terça-feira (15), em Vitória, Espírito Santo, participando da “Jornada Unitária Campo e Cidade; Por nenhum direito a menos” ocuparam na tarde de hoje (18), os trilhos da ferrovia da empresa Vale que liga Minas Gerais ao Espírito Santo na altura de Fundão, próximo a Grande Vitória.

Como resultado da segunda Jornada Unitária ontem (17), foi realizada uma reunião com uma comissão das organizações camponesas mais, Casa Civil, Direitos Humanos e Secretaria de Agricultura no Palácio Fonte Grande, que é sede do governo estadual e foi acertada uma reunião para hoje com um grupo de trabalho misto (camponeses e poder público) para tratar do Fundo Social Emergencial para as famílias camponesas que estão vulnerabilidade, pelo período que durar os efeitos da seca no estado e também para acionar uma audiência com o governador Paulo Hartung, que não tem se esforçado para atender a demanda camponesa e se esquiva de suas responsabilidades enquanto governante e não tem garantido o funcionamento do programa estadual de recomposição ambiental.

Foi possível visualizar avanços na pauta em nível estadual com a construção de uma agenda para quarta-feira (24), em Vitória, com a proposta de se avançar na elaboração do Fundo Social Emergencial para as famílias camponesas, com auxilio de R$5.000,00 mais um salário mínimo enquanto não temos produção. Ressalta-se que a responsabilidade de à demanda se concretizar ainda depende do governador do estado, afirma a coordenação da jornada formada por movimentos do campo capixaba.

A ocupação da ferrovia também objetiva pressionar o Conselho Monetário Nacional, para a inclusão da proposta camponesa na PL 733 que será votada em plenário do conselho na próxima quinta em Brasília. A proposta das organizações que compõe a jornada é que haja o rebate de 90% do valor da dívida para agricultores camponeses familiares e assentados dos anos de 2015, 2016 e 2017 com financiamento contratado de até R$100.000,00 e carência até o ano de 2021 para o pagamento dos 10% restantes.

Para um camponês que participa da jornada a demanda é justa, pois fez o financiamento, plantou a lavoura e cuidou dela, mas não houve colheita “O ano passado foi muito ruim, já tive perda de 40% da produção e este ano eu nem colhi. Pelo tanto de café que tinha no pé não pagava a mão de obra” o camponês ainda comenta que “Do jeito que tá eu não sei o que fazer, não tenho dinheiro nem para as coisas básicas da casa. Como que eu vou formar minha lavoura de novo? Quando vai voltar a chover? O governo precisa agir pelo povo!” conclui o camponês contendo o choro.
803705739_76998.jpg

Este é o segundo momento da Jornada Unitária, o primeiro aconteceu em Colatina há um mês atrás e de acordo com a coordenação, caso não haja retorno satisfatório, outras jornadas serão realizadas e além da pauta camponesa será mantido o caráter de denúncia dos problemas específicos ao território, por isso escolha da ferrovia da Vale, que cometeu o crime ambiental do Rio Doce e até hoje não foi punida pelas autoridades competentes, que demonstram conivência com o ocorrido ao não punir as empresas e não cobrar a implantação do programa de recuperação ambiental na bacia do rio e assistência as populações atingidas.

Outro ponto abordado pela jornada é a não perda de direitos da classe trabalhadora, que não aceita a precarização e privatização dos serviços públicos a exemplo do SUS, que passa por um período de grandes ataques pelo governo golpista de Michel Temer que atua diretamente no fortalecimento dos serviços de saúde pagos e que não são aceitos pela população trabalhadora.

O conjunto de pessoas que participam da jornada não aceitam o fechamento de escolas do campo e reforçam a importância da manutenção da pedagogia de alternância, que é importante fortalecer o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa Nacional de Aquisição de Alimentos (PAA) e são contra qualquer retrocesso a perda de direitos da classe trabalhadora do campo e da cidade.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar