Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 19 Março 2017 12:52 Última modificação em Quinta, 23 Março 2017 00:25

Universidade de Harvard censura sites noticiosos

Avalie este item
(0 votos)
País: Estados Unidos / Comunicaçom / Fonte: Blog do Stephen Lendman

[Stephen Lendman; Tradução do Coletivo Vila Vudu]  E os desgraçados pais pagam $63 mil dólares por ano para que os desgraçados filhos tenham cama, comida e professores... para serem mal ensinados?! 

Depois do golpe em Kiev de 2014 orientado pelo governo Obama, para substituir governo democrático por uma ditadura fascista, Harvard foi rápida a manifestar preocupação por uma inexistente "agressão russa". Professores daquela universidade 'exigiram' intervenção militar.

Nem uma palavra de crítica ou resistência contra a tomada do poder por golpistas sustentados pelos EUA. Nem uma palavra de indignação contra o mais ensandecido e violento golpe em território europeu desde 1922, quando Mussolini marchou sobre Roma.

Nenhuma tentativa, que fosse, de explicar um complô orquestrado em Washington. Silêncio total em torno daquela gravíssima crise no coração da Europa, que ainda não foi debelada até hoje. Trump herdou a confusão criada por Obama, e até agora não conseguiu dizer com clareza qual sua posição sobre a Ucrânia.

Agora, Harvard volta à cena. A Biblioteca da Universidade de Harvard acaba de publicar um guia de censura e para censores – seu Index Librorum Prohibitorum – no qual a Biblioteca de Harvard lista sites e blogs que os fiéis harvardianos ficam proibidos de ler ou visitar (e quanto a citar, nem se fala!), porque aquelas páginas foram declaradas antros de distribuição de "notícias fake, desinformação e propaganda".

O Index da Universidade de Harvard recomenda que, contra a informação veiculada por aquelas páginas tabu, os leitores e internautas usem FactCheck.org, Politifact, Snopes.com, Washington Post Fact Checker. (É 'instrução' equivalente a mandar todo mundo (a) não acreditar no que dizem as páginas agora censuradas e (b) acreditar cegamente no que diga o Jornal Nacional da Globo-BR & o 'prof.' Villa).

A Biblioteca de Harvard acaba de censurar fontes altamente confiáveis de informação bem construída e análises esclarecedoras.

A Universidade de Harvard avaliza conteúdo distorcido, que o Estado Profundo tecomenda. A Universidade Harvard desertou da luta pela liberdade de manifestação, liberdade de imprensa e liberdade acadêmica.

Tudo que a Universidade de Harvard neo-Inquisição está recomendando deve ser ignorado. A regra ainda é o bom e velho senso comum: se interessa à mídia-empresa, não interessa à democracia. Fuja dos canalhas 'midiáticos': são pagos para mentir, quando não mentem por profundo pessoal desejo de mentir – e nesse caso pode haver jornalistas que mentem e enganam gratuitamente, por convicção fascistizante.

A Universidade de Harvard publicou uma lista de centenas de páginas declaradas "enviesadas", "conspirativas", "não confiáveis", "falsificadas" e outros rótulos infalivelmente distorcidos.

As páginas que conheço daquela lista sei que são fontes confiáveis de boa informação – e fazem frontal oposição à mídia-empresa canalha paga pelos interessados para mentir a favor deles mesmos.

Listo algumas das páginas censuradas – com os respectivos links, para resistir contra a censura. Não deixem de visitá-las, acompanhá-las e ajudar a divulgá-las, sobretudo agora que enfrentam ataque doentio da Universidade de Harvard:

21st Century Wire
Activist Post
Antiwar.com
Before Its News.com
Black Agenda Report
Boiling Frogs Post
Common Dreams
Consortium News
Corbett Report
Countercurrents
CounterPunch
David Stockman Contracorner
Fort Russ
Freedoms Phoenix
Global Research
The Greanville Post
Information Clearing House
Intellihub
Intrepid Report
Lew Rockwell
Market Oracle
Mint Press News
Moon of Alabama
Naked Capitalism
Natural News
Nomi Prins
Off-Guardian

Paul Craig Roberts
Pravda.ru
Rense
Rinf
Ron Paul Institute
Ruptly TV
Russia-Insider
Sgt Report
ShadowStats
Shift Frequency
SJLendman.blogspot.com (meu blog)
Solari
Sott.net
South Front
Sputnik News
Strategic Culture.org
The Anti-Media
The Duran
The Intercept
The People’s Voice
The Saker
The Sleuth Journal
Third World Traveler
Voltairenet
What Really Happened
Who What Why
WikiLeaks
Zero Hedge
(...)

Essas e outras páginas que a Biblioteca de Harvard tanto quer que ninguém leia são páginas em cujo conteúdo os leitores podem confiar. E todos devem evitar, isso sim, The New York Times, Washington Post, CNN e outras organizações que fizeram, da produção e distribuição de noticiário inventado, meio de vida.
Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar