Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 10 Abril 2017 00:38 Última modificação em Domingo, 09 Abril 2017 13:44

Da Síria à Coreia do Norte: A doutrina da inépcia de Trump

Avalie este item
(0 votos)
País: Estados Unidos / Batalha de ideias / Fonte: Counterpunch

[Tom Clifford; Tradução de Choldraboldra] Vamos chamá-la a doutrina "inepta". Você vê, os EUA podem agora bombardear um estado com base em que o principal aliado do Estado tem sido, nas palavras do secretário de Estado Rex Tillerson descrevendo a Rússia, cúmplice ou simplesmente incompetente. Falando ao conselheiro de segurança nacional H. McMaster, ele estava se referindo ao que ele alegava ser a incapacidade da Rússia de controlar Bashar al-Assad.

Isso é arrepiante e aconteceu quando o presidente Donald Trump estava recebendo o líder chinês Xi Jinping.

Será que a China agora será classificada como inepta ou cúmplice por não controlar os testes de mísseis da Coréia do Norte? Presumivelmente, os Estados Unidos não teriam cumprido os critérios de Tillerson quando ele não conseguiu deter Saddam, então o policial do Golfo, apoiado pelos EUA, de usar armas químicas que mataram milhares de pessoas em Halabja em 1988.

Ninguém sabe como Xi reagiu ao ataque à Síria.

Mas alguns funcionários chineses devem ter notado o comentário cúmplice. Para Washington, o que se aplica às ações da Rússia na Síria tem influência para os chineses, espere por isso, cumplicidade, na Coréia do Norte.

É uma situação sem ganho para Pequim. Se a Coréia do Norte continuar a testar mísseis que aterrissem no Mar do Japão, a China não fará seu trabalho. Se a Coréia do Norte desistir, então a China está fazendo o que se espera deles e não deve ganhar nenhum aplauso. Não nos esqueçamos que a Coréia do Norte é considerada, por planejadores de defesa, como sendo de interesse estratégico para os EUA. A Síria era e não é.

E a administração Trump declarou que, em relação à Coréia do Norte, todas as opções estão na mesa. Claramente, este não é o caso. O candidato Trump sugeriu que ele estava aberto ao diálogo com a Coréia do Norte. Esta abordagem, a julgar pela retórica durante a última semana ou assim, parece ter sido descartada. Mas o diálogo tem algum mérito. Sanções claramente não estão funcionando. E Pyongyang sem dúvida vai considerar o ataque à Síria como justificativa para mais testes de mísseis, para reforçar suas defesas. Os chineses consideram o atual estado de coisas entre os EUA e a Coréia do Norte como um acidente de trem que vai acontecer a menos que alguém pise nos freios. Sua advertência provavelmente será descartada como inepta.

Bife e linguado estavam no menu, também estava bolo de chocolate e sorvete quando Trump se apresentava para Xi. A delegação chinesa havia partido menos de duas horas após o jantar ter começado, ao mesmo tempo em que os 59 mísseis Tomohawk, de US $ 1 milhão por peça, estavam batendo em seus alvos.

"Nenhum filho de Deus deve jamais sofrer tal horror", disse Trump enquanto anunciava o ataque. As crianças do Oriente Médio têm sofrido horrores por décadas. São claramente filhos de um deus menor. Se ele está buscando retribuição pelo sofrimento das crianças, as ações de Tomahawk devem crescer. Especialmente se for um julgamento para um ataque na península coreana.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar