Publicidade

Diário Liberdade
Sábado, 20 Mai 2017 12:57 Última modificação em Terça, 23 Mai 2017 00:23

Sinais contraditórios na Península Coreana

Avalie este item
(0 votos)
País: Coreia do Norte / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Avante!

A Rússia e China apelam à contenção de todas as partes na Península da Coreia, depois de a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) ter testado, no sábado (13), um novo míssil que, segundo Pyongyang, é de médio e longo alcance e tem capacidade para transportar uma “grande e potente ogiva nuclear”.

Num encontro à margem do projeto chinês Cinturão e Rota, domingo (14), Vladimir Putin e Xi Jinping reiteraram a necessidade de arrefecer a tensão bélica na região e avançar para o diálogo. EUA, Japão e Coreia do Sul, entre outros, exigem uma tomada de posição por parte da Nações Unidas.

A Coreia Popular tem vindo a acelerar a sua capacidade nuclear desde que, nos últimos anos, os norte-americanos reforçaram sobremaneira a sua aliança militar com Seul. O programa atômico dissuasivo da RPDC foi intensificado depois de Donald Trump ter assumido a presidência norte-americana e, em particular, de ter admitido um ataque preventivo contra o país.

O ensaio balístico ocorreu após a eleição do novo presidente sul-coreano, Moon Jae-in, o qual, durante a campanha eleitoral, garantiu estar disponível para reunir com os dirigentes da RPDC até na capital Pyongyang, “caso estejam reunidas as condições adequadas”.

A mesma expressão foi usada, anteriormente, por Donal Trump, e por estes dias também por um diplomata da Coreia Popular citado pela agência de notícias pública, todos manifestando abertura para conversações.

Reagindo à eleição de Moon Jae-in, um editorial publicado no diário estatal norte-coreano, no dia 11, instava o chefe de Estado da Coreia do Sul a abandonar a “política de confrontação”, designadamente os exercícios militares conjuntos com os EUA, e sublinhava que “as duas Coreias devem respeitar-se mutuamente e abrir um novo capítulo para avançar para uma melhoria dos seus laços e para a unificação inter-coreana”.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar