Publicidade

Diário Liberdade
Sexta, 29 Julho 2016 11:21 Última modificação em Segunda, 01 Agosto 2016 15:22

Wikileaks revela guerra diplomática de Clinton contra Venezuela

Avalie este item
(1 Voto)
País: Estados Unidos / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Revista Opera

Por Pedro Marin

O site Wikileaks recentemente divulgou mais de 30 mil emails da ex-Secretária de Estado e atual candidata à presidência dos EUA pelo partido democrata, Hillary Clinton.

Entre eles, uma série de emails revela medidas de sabotagem que a Secretária de Estado tomou contra a Venezuela, durante o governo de Hugo Chávez. Em um dos emails, enviado em 2010 ao ex-Secretário Assistente de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela, Clinton diz que é necessário influenciar o Brasil contra a Venezuela.

“Nós precisamos nos encontrar com Jim Steinberg [e falar] sobre sua viagem à região e desenvolver uma abordagem mais efetiva para a Venezuela, para o seu conflito com a Colômbia, e como influenciar o Brasil a estar mais inclinado a colocar rédeas em Chávez”, diz um trecho, seguido por um outro que diz que “nós precisamos considerar com cuidado as consequências de confrontá-lo publicamente mas devemos procurar oportunidades para outros na região nos ajudarem.”

Outros emails revelam a participação de outros membros do governo em boicotes à Venezuela. Em 2009, por exemplo, a funcionária da USAID Letitia K. Butler sugere que os doações da fundação “devem ocorrer em alguns casos, mas não em outros […] Por exemplo, nos estados neo-bolivarianos na América Latina (Venezuela, Bolívia, Nicarágua e Equador) [as doações] poderiam prejudicar o desenvolvimento democrático real.”

Guerra de propaganda

Em um email enviado a Clinton em 2010, a ex-vice-chefe de gabinete da Secretaria de Estado e atual vice-presidente da campanha de Hillary Clinton, Huma Abedin, diz que o novo Presidente da Broadcasting Board of Governors – instituição responsável por veículos como Voice of America, Radio Free Europe e Radio Free Asia -, Walter Isaacson (ex-editor da revista Time e diretor da CNN), está “pedindo ainda mais dinheiro para que a BBG combata os esforços de diplomacia pública dos ‘inimigos’ da América, que ele identifica como Irã, Venezuela, Rússia e China.”

O email diz ainda que Isaacson citou iniciativas como a TeleSUR, Russia Today e Press TV (Irã) como exemplos de veículos a serem combatidos na guerra de propaganda.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar