Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Quinta, 23 Março 2017 09:25

Grande adesão à greve nos «call centers» da PT/MEO do Porto

Avalie este item
(0 votos)
País: Portugal / Laboral/Economia / Fonte: Abril Abril

Os trabalhadores da Manpower nos call centers e backoffice da PT/MEO no Porto cumprem hoje uma greve de 24 horas, reivindicando aumentos salariais e o fim da precariedade. Dados do SINTTAV apontam para uma adesão de 95% nos primeiros turnos.

A greve que os trabalhadores da Manpower hoje estão a realizar foi decidida, em plenário, no passado dia 7, na sequência do falhanço da última reunião negocial com a empresa. Apesar de ter «um volume de vendas superior a 114 milhões de euros», esta alega não estar em condições económicas de aumentar os salários, que não são actualizados há mais de dez anos, denuncia o Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisual (SINTTAV).

À porta de uma loja da MEO, o dirigente sindical Nelson Leite sublinhou a forte adesão à greve nos primeiros turnos do dia – a rondar os 95% – e, em declarações à Lusa, explicou que «cerca de 500 [funcionários] que trabalham nas instalações da PT na Rua Tenente Valadim, no Porto, são subcontratados da agência de emprego Manpower», que não actualiza os salários «há anos», na maior parte dos casos, «há mais de 10 anos», disse.

O dirigente sindical destacou o desgaste e a exigência associados à profissão, acrescentando que a maioria dos trabalhadores dos call centers e backoffice da PT/MEO recebe o salário mínimo nacional e outros pouco mais do que 600 euros.

De acordo com a proposta apresentada à empresa, o SINTTAV exige que passem a ganhar 600 euros todos os trabalhadores que auferem um valor inferior, e um aumento de 4%, nunca inferior a 40 euros, nos restantes níveis salariais. Também insiste na integração dos trabalhadores nos quadros da PT/MEO, de modo a acabar com a actual «situação de trabalho temporário e de subcontratação».

A Manpower mantém-se fechada à negociação, mas os trabalhadores «não se resignam e a luta vai continuar», sublinhou Nelson Leite.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar