Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Sábado, 20 Mai 2017 12:17

A precariedade do emprego continua elevada

Avalie este item
(0 votos)
País: Portugal / Laboral/Economia / Fonte: CGTP

Os dados relativos ao emprego no 1º trimestre de 2017, publicados pelo INE revelam alguma melhoria da situação no último ano nomeadamente com a descida do desemprego e a criação de emprego.

No entanto, muito há a fazer para responder a este problema que afecta os trabalhadores e as suas famílias de forma violenta. A taxa de desemprego continua acima dos dois dígitos (10,1%), permanecendo desempregadas cerca de 524 mil pessoas em termos oficiais, a maioria dos quais sem qualquer protecção no desemprego. Mas, considerando os desencorajados, os inactivos indisponíveis, os subempregados e os ocupados em contratos emprego-inserção ou estágios, o número real de desempregados e subempregados é superior a um milhão, correspondendo a uma taxa real de desemprego e subocupação de cerca de 19%.

Estes dados mostram também que a precariedade do emprego continua elevada, com mais de 817 mil trabalhadores com vínculos precários (21,2% em termos globais, ultrapassando os 60% entre os menores de 25 anos). Esta estimativa peca por defeito, já que uma parte do falso trabalho independente não é contabilizada.

Por sua vez, os salários são em geral baixos e não chegam para satisfazer as necessidades básicas de muitos trabalhadores e suas famílias. Cerca de 30% dos trabalhadores recebem menos de 600 euros mensais e mais de 20% recebem apenas o salário mínimo nacional, que tem um valor próximo do limiar de baixos salários e se situa pouco acima da linha de pobreza.

É urgente alterar o modelo de precariedade e baixos salários. Não basta que o Governo afirme que é contra este modelo e continue a admitir que a maioria das ofertas de trabalho sejam precárias e os salários baixos ou que permita que as empresas recorram a expedientes para despedir trabalhadores invocando reestruturações empresariais que apenas servem para reduzir pessoal.

Este modelo penaliza todos os trabalhadores, e em especial os jovens, que recusam ser condenados a um futuro de exploração, baixos salários, precariedade e pobreza.

Há que combater decisivamente a precariedade na administração pública e sector empresarial do Estado, tornando célere, eficaz e abrangente o processo agora aberto, e iniciar um processo de combate e regularização das situações precárias também no sector privado, dando cumprimento ao princípio de que a um posto de trabalho permanente deve corresponder um contrato de trabalho efectivo.

No que diz respeito à protecção no desemprego, além da necessidade do alargamento do número de beneficiários, é preciso revogar a redução de 10% no subsídio de desemprego para todos os beneficiários independentemente do valor da sua prestação.

Não há solução para o problema do desemprego sem ruptura com o modelo de baixos salários e trabalho precário.

É tempo de se fazer opções, valorizando o trabalho e os trabalhadores!

DIF/CGTP-IN

Lisboa, 10.05.2017

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar