Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 06 Agosto 2017 21:04 Última modificação em Quinta, 17 Agosto 2017 12:29

Venezuela: Tentativa de golpe paramilitar pró-imperialista gorada pola Força Armada Nacional Bolivariana em Carabobo

Avalie este item
(0 votos)
País: Venezuela / Direitos nacionais e imperialismo, Antifascismo e anti-racismo / Fonte: Diário Liberdade

A açom de tipo paramilitar foi protagonizada por civis com fardas militares, sob liderança de um capitám em situaçom de "desertor".

Enquanto os media internacionais favoráveis ao imperialismo começavam o labor de agitaçom e propaganda em favor do "alçamento", em terminologia franquista adotada por El País, Abc e outros meios espanhóis, o efetivos da Força Armada Nacional Boliviariana (FANB) repeliam imediatamente a açom armada terrorista.

Porta-vozes da FANB declarárom logo a seguir que "o ataque terrorista de hoje nom é mais do que um show propagandístico, umha enteléquia, um passo desesperado que fai parte dos planos desestabilizadores e a conjura continuada que se vem gestando, para tentar evitar que se consolide o renascimento da nossa República".

Outras fontes revolucionárias apontam para a possibilidade de que o ataque de hoje responda à estratégia desestabilizadora alimentada pola CIA norte-americana para conduzir a Venezuela para o caos, facilitando aos EUA intervir mais diretamente contra o processo boliviariano e recuperar o controlo do país, como sempre tinha estado até a chegada ao poder de Hugo Chávez.

Diversas tentativas golpistas tenhem-se sucedido desde o golpe de 2002, que durante horas colocou um grupo de fascistas burgueses à frente do Estado, mantendo preso o presidente Chávez. A rápida reaçom popular devolveu o líder revolucionário ao governo e derrotou o golpe, mas as tentativas nom cessárom até hoje.

Desta vez, o ataque ao quartel de Carabobo chega logo a continuaçom da eleiçom da Assembleia Nacional Constituinte, com que o chavismo recuperou a iniciativa política após o amplo apoio de mais de 8 milhons de venezuelanos e venezuelanas na votaçom de 20 de julho. A burguesia, autoexcluída do processo e encastelada no Parlamento burguês, leva meses a promover diretamente a violência de grupos organizados de lumpen para desestabilizar, enquanto boicota a distribuiçom de alimentos e doutros bens de primeira necessidade. Dessa forma, a reaçom pró-imperialista aproveita a crise económica mundial, que atingiu diretamente a Venezuela, para tentar fazer cair a Quinta República.

As luitas de classes nom cessam numha Venezuela em que o capitalismo mantém vigência, apesar do projeto pró-socialista defendido por setores do chavismo. O confronto com o imperialismo está a mostrar as contradiçons de tentar manter as formas democrático-burguesas e o poder da burguesia junto a umha açom de governo favorável à maioria, com o imperialismo a conspirar constantemente contra umha das principais potências petrolíferas do mundo.

O de hoje parece ser só mais um episódio dessas luitas em que o povo venezuelano joga nom só a superaçom da hegemonia capitalista, mas também a mais elementar soberania nacional.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar