Publicidade

Diário Liberdade
Sexta, 29 Junho 2018 08:13 Última modificação em Sexta, 20 Julho 2018 14:26

Governo da Venezuela toma controle de mercados que especulavam e estocavam produtos

Avalie este item
(2 votos)
País: Venezuela / Laboral/Economia / Fonte: Diário Liberdade

O governo da Venezuela iniciou no dia 20 uma operação de ocupação e controle temporário de 97 mercados por todo o país que estocavam produtos básicos e especulavam com seus preços.

Os primeiros oito mercados a serem tomados estão concentrados nos estados de Lara, Aragua, Carabobo, Caracas e Miranda.

A medida consiste em duas etapas: na primeira, ocupou-se outros 21 mercados atacadistas que fixavam e marcavam preços não reais e não acordados, baseados no dólar paralelo (do mercado negro).

Na segunda etapa, o governo intervirá em mais 68 mercados por todo o país.

Com isso, o governo visa garantir o melhor funcionamento dos locais, promovendo e protegendo o abastecimento, distribuição e comercialização dos alimentos a preços acordados, “reais, e não especulativos”, segundo o vice-presidente para a Área Econômica, Tareck El Aissami.

“É uma medida sancionatória toda a vez que observamos a existência de especulação, estocamento, alteração fraudulenta de preços ou dos serviços, entre outros”, disse na semana passada. Ele explicou também que a ocupação temporária dos estabelecimentos é contemplada na Lei Orgânica de Preços Justos.

✍️ Inscreva-se em nosso canal no Youtube e acompanhe o programa Conexão Caracas, todos os sábados às 18h (de Brasília) direto da Venezuela 

Entre quarta-feira (27) e este sábado (30), o governo discute com setores de produção, distribuição e comercialização o chamado Plano 50, a fim de chegar a acordos para fixar a preços justos 50 bens, produtos e serviços essenciais para a população da Venezuela. O Plano 50 também é acompanhado pela Assembleia Nacional Constituinte (ANC) e pela Força Armada Nacional Bolivariana (FANB).

Nos últimos dias as autoridades estatais, em conjunto com a população organizada, têm realizado operações de fiscalização de estabelecimentos comerciais a fim de acompanhar as possíveis irregularidades na venda dos produtos.

Anzoátegui, Mérida e Nueva Esparta são outros estados em que esta semana se realizam inspeções contra o aumento dos preços. Segundo afirmou uma autoridade do estado de Anzoátegui à agência AVN, em duas semanas de intervenção estatal no mercado de Puerto La Cruz, três pessoas foram detidas por esconderem 3,5 toneladas de milho.

Leia também:

Empresas escondem toneladas de alimentos da população para boicotar o governo na Venezuela

Venezuela: Após direita vencer eleições, produtos escondidos aparecem nos supermercados

Aumento ilegal de preços

Após o presidente Nicolás Maduro ter anunciado o aumento de 103% no salário mínimo em 21 de junho, alguns estabelecimentos comerciais remarcaram ilegalmente os preços dos produtos.

Esse procedimento vem sendo denunciado já há alguns anos pelo governo e pelos movimentos populares venezuelanos.

No início do ano, uma investigação da Superintendência Nacinal para a Defesa dos Direitos Socioeconômicos (Sundde) mostrou que, em pouco mais de duas semanas, o preço de 6.015 alimentos, remédios e produtos de higiene aumentou em média 157%, sem qualquer justificativa. Em alguns casos, o aumento chegou a 10.902%.

O governo denuncia que essa prática integra uma estratégia mais ampla para desestabilizar a economia do país e derrubar Maduro. Na Venezuela chamam tal situação, que ocorre desde 2013, de “guerra econômica”.

Na última quarta-feira, Maduro ameaçou as redes privadas de comércio caso voltem a desrespeitar a lei.

“Aos donos dessas distribuidoras atacadistas, fornecedores e grandes fornecedores, endireitem-se, lhes dou uma oportunidade, ou cumprem com a lei de preços acordados ou a revolução tomará medidas radicais, e depois não reclamem”, decretou.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar