Publicidade

Diário Liberdade
Quinta, 30 Agosto 2018 18:24 Última modificação em Terça, 04 Setembro 2018 20:07

Embaixador boliviano alerta para contraofensiva norte-americana

Avalie este item
(0 votos)
País: América Latina / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Abril Abril

Em entrevista à Red Patria Nueva, o diplomata boliviano e ex-ministro da Presidência, Juan Ramón Quintana, disse que, hoje, os “governos fantoches” são civis e não militares, como nos anos 70, quando na América Latina foi implementado o chamado Plano Condor, com a execução de vários golpes de Estado.

“Hoje, a situação mudou, as novas marionetes são civis; portanto, há uma contraofensiva política, para colocar no poder os governos fantoches. Não é um acaso”, explicou.

Para Quintana, “um claro exemplo desta situação é a presidência de Michel Temer, no Brasil, que, pese ser o presidente mais "impopular" da região, governa com a ajuda de um conglomerado de órgãos de comunicação financiados pela administração norte-americana”.

No âmbito da “contraofensiva”, o embaixador da Bolívia em Cuba alertou para o “brutal estrangulamento econômico” a que a Venezuela é sujeita e para a desestabilização social e política na Nicarágua, sendo que “ambos os países são governados por dirigentes progressistas”.
Referindo-se a outros países da região e, em especial, do Cone Sul, Quintana classificou como “vergonhosa” a administração do presidente do Equador, Lenin Moreno, que qualificou como “traidor ao seu povo”.

América Latina, região geopolítica prioritária

“A América Latina transformou-se, mais que nunca, numa das regiões com maior prioridade geopolítica para os Estados Unidos”, disse Quintana, acrescentando que não é por acaso que “à Colômbia, símbolo da beligerância na região, foi atribuído um estatuto especial, de modo a integrá-la na Otan”.

Para reforçar a noção de que os EUA “estão fazendo os países da América Latina pagar o preço”, o diplomata boliviano referiu-se a eventuais cenários de derrota dos EUA nas “guerras no Oriente Médio” e de “enfraquecimento da aliança militar e política com a Europa”, num contexto “de crescimento e expansão da China, e de desenvolvimento da Rússia”.

Sobre o caso concreto do seu país, disse que a administração norte-americana leva a cabo uma “estratégia de criminalização do processo político”, na medida em que o país andino «participa da primeira divisão da geopolítica global”. “O povo boliviano tem de perceber que a Bolívia deixou de ser um peão submisso”, destacou.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar