Publicidade

Diário Liberdade
Sábado, 21 Outubro 2017 16:19 Última modificação em Segunda, 06 Novembro 2017 21:08

A “nova esquerda” é velha e vem da CIA

Avalie este item
(3 votos)
/ Batalha de ideias / Fonte: Causa Operária

Documento liberado pela CIA revela um aspecto muito importante sobre os intelectuais acadêmicos das chamadas Ciências Sociais.

Segundo o documento da agência imperialista, nomes como o do filósofo Michel Foucault, do antropólogo Levy Strauss e do historiador Fernand Braudel aparecem como uma via encontrada pelo imperialismo para a propaganda anticomunista.

O mais importante dessa revelação – o que para os que conhecem o teor do pensamento desses intelectuais não é nenhuma novidade – é como essa política atua ainda hoje, servindo como fonte de falsificações intelectuais antimarxistas. Além disso, serve para chamar a atenção para a mesma política imperialista em relação a ideias atuais que são filhas desses intelectuais.

Tanto naquela época, como hoje, o cerne do pensamento desses acadêmicos é a substituição da luta de classes, ou seja, da luta de vida ou morte entre a maioria explorada do mundo e uma minoria que vive do parasitismo daquela maioria, por uma ideia de que a sociedade é composta por uma série de divisões. A partir daí, a imaginação é livre: não haveria mais operários e burgueses, mas diferenças de gêneros; não haveria capitalismo e socialismo, mas defesa da ecologia; e assim por diante.

A mesma política impulsionadora desse pensamento revelado pelo documento da CIA, que vigorou nos anos 40, 50 e 60, é hoje colocada em prática pelo imperialismo.

A manipulação consiste em impulsionar as ideias de intelectuais que aparecem como “progressistas” ou de “esquerda” para combater o marxismo. É preciso atacar a ciência da classe operária e nada melhor do que pseudo-esquerdistas para dar legitimidade a uma política extremamente reacionária.

O financiamento se dava por meio dos investimentos da Fundação Rockefeller e da Fundação Ford e o imperialismo considerava (e considera ainda?) mais fácil os chamados intelectuais pós-marxistas convencerem do que os conservadores tradicionais, já “queimados” nos meios estudantis e intelectuais. Não é à toa que o imperialismo e, aqui no brasil, a imprensa golpista, desatou a fazer uma verdadeira campanha de propaganda em prol da “nova esquerda”. Como vemos, de nova não tem nada e de esquerda quase nada a não ser a aparência.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar