Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 27 Outubro 2019 00:33

A contra-história da modernidade e a reconstrução do movimento comunista

Avalie este item
(1 Voto)
Jones Manoel

Clica na imagem para ver o perfil e outros textos do autor ou autora

No distante 2015, no site do PCB, foi publicada uma entrevista com o saudoso Jean Salem.


Na entrevista ele descreve brevemente como a ideologia dominante se apropriou da história da classe trabalhadora no século XX e coloca como maior exemplo o apagamento da centralidade da Resistência em Stalingrado na vitória sobre o nazifascismo.

Salem, nessa mesma entrevista, realizou uma afirmação que nunca mais saiu da minha cabeça: a retomada do movimento comunista passa por um balanço crítico, uma verdadeira nova escrita da história, da modernidade burguesa como um todo e do século XX em particular. Nesse mesmo período, comecei a me aprofundar na obra de Domenico Losurdo, um intelectual que dedicou sua vida a esse projeto.

Toda minha produção, em última instância, tem essa finalidade. Esse novo balanço crítico da história é parte da luta pela reforma intelectual e moral com vistas à construção de uma nova hegemonia (Gramsci) e, também, a luta de classes na teoria, como provocava o grande Althusser. Reconstruir o movimento revolucionário passa por um longo trabalho político, organizativo, técnico e também teórico.

Essa batalha teórica pode ser sintetizada em um grande desafio: destruir toda influência de Hannah Arendt no balanço histórico da modernidade. Essa pensadora é a síntese dos principais elementos constitutivos da ideologia burguesa reinante: a ) demonização das experiências socialistas como auge da barbárie moderna; b ) apagamento da questão colonial (e do nazifascismo como radicalização da tradição colonial-imperialista Ocidental); c ) hagiografia do liberalismo, transformando ele em um mito, um vetor de eterna defesa das liberdades individuais e dos direitos humanos; d ) compreensão eurocêntrica da questão democrática e exclusão da dimensão geopolítica e de resistência/condição de vida dos explorados e oprimidos na qualificação de um regime como democrático.

É claro que Hannah Arendt não é a única a expressar esses elementos. Em muitos aspectos, não é nem a mais reacionária (Nietzsche, por exemplo, é bem mais reacionário que ela), mas a autora de “As origens do totalitarismo” tem credenciais de esquerda (é aceita como parte do pensamento progressista) e, objetivamente, pauta a existência de muitas organizações do campo socialista e de esquerda (como é o caso no Brasil do PT e PSOL e uma porrada de movimentos sociais).

Basicamente, esse é o sentido das minhas falas nos lançamentos do Revolução Africana nos diversos estados do Brasil.

Esse trabalho coletivo, não apenas meu, não apenas do PCB, é indispensável para sairmos da barbárie e, como diria o grande Benjamin, salvar os nossos mortos do inimigo.

Fonte: Portal Disparada.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar