Publicidade

Diário Liberdade
Quarta, 03 Abril 2019 14:21 Última modificação em Sábado, 13 Abril 2019 16:43

Comunistas avançam na Turquia

Avalie este item
(0 votos)
País: Turquia / Institucional / Fonte: PCB

Votação do Partido Comunista da Turquia registra significativo crescimento nas eleições municipais.

Secretaria de Relações Internacionais do PCB

Realizaram-se no último domingo, 31 de março de 2019, eleições para prefeitos e vereadores em todos os municípios e distritos das 81 províncias da Turquia. Representando uma ampla aliança, o candidato do Partido Comunista da Turquia, Fatih Mehmet Maçoğlu, ganhou as eleições no município de Dersim. Esta vitória tem um significado histórico na Turquia. O PCT anuncia que, em conjunto com os seus aliados, fará tudo o que puder para ampliar a perspectiva do “município das pessoas” para o nível provincial.

O Partido Comunista da Turquia teve sucesso nessas eleições, com índices de votos radicalmente aumentados, apesar de todos os desafios, imposições e restrições existentes no país. O PCT recebeu mais de 130 mil votos para os conselhos municipais. Nas três principais cidades metropolitanas, houve um aumento notável nos votos do partido e, em Urla, Balçova, Narlıdere, Çeşme (de İzmir) e Beşiktaş (de Istambul), os votos do PCT excederam o patamar de 1% do total. Destaca-se a porcentagem de votos em Urla, que foi de 2%.

O Partido Comunista da Turquia recebeu elevada votação em alguns distritos que pretendia governar como exemplos de “municípios das pessoas”, mas não venceu devido a alguns desenvolvimentos de última hora. Os comunistas estão se expandindo em dezenas de distritos e bairros e esses resultados demonstram que essas áreas têm grande influência do PCT.

Nas eleições para prefeitos, nas quais as decisões dos eleitores sofrem muitas influências e injunções locais, o Partido também recebeu mais votos. Embora avalie que muitos dos votos dados ao PCT possam ter sido votos de protesto, o Partido considera que os resultados apontam claramente que o PCT criou sua própria base eleitoral desde o ano passado, e que “aqueles que querem derrubar o sistema capitalista e estabelecer um país socialista na Turquia deram seus votos aos comunistas”.

O Comitê Central do Partido Comunista da Turquia avalia que a crise do AKP (Partido da Justiça e do Desenvolvimento, conservador), que chegou ao poder há 17 anos, se aprofundou. Para o PCT, as eleições se transformaram em uma crise não apenas para o AKP, mas também para os partidos de oposição que compactuam com o regime burguês.

Imediatamente após as eleições, houve apelos dos representantes do capital para a normalização do país, que podem, para o PCT, adiar temporariamente a crise. No entanto, a Turquia está entrando em uma grave crise econômica, política e social.

Está claro que o principal partido de oposição, o CHP (Partido do Povo Republicano, oficialmente social-democrata), que venceu o pleito no município de Ancara com um candidato originário do partido nacionalista MHP (Partido do Movimento Nacionalista, ultranacionalista e defensor do panturquismo) e, em Istambul, com um candidato de tendências islâmicas, entrou numa crise própria. A raiva anti-AKP, que se acumulou na sociedade por 17 anos, foi mais uma vez abafada com a ajuda do CHP. Para O PCT, é impossível criar uma história de mudanças efetivas ou qualquer tipo de esperança para o povo se não houver a superação do sistema.

Para o Partido Comunista da Turquia, os que votaram no PCT devem ter em mente que a sua vontade teve um resultado significativo: a esperança está florescendo na Turquia. O Partido está trabalhando na avaliação detalhada dos resultados eleitorais e se lança em um período de trabalho ainda mais intenso que o do período eleitoral, para que o povo da Turquia não seja condenado à ordem dos capitalistas, imperialistas e reacionários.

O Comitê Central do PCT, em nota oficial, agradeceu a todos os cidadãos que votaram no Partido ou o apoiaram de alguma forma, e conclama aqueles cujos corações estão com o PCT a se juntarem à luta dos comunistas, afirmando que “Seremos mais fortes juntos: se o dinheiro tem seu reino, o povo trabalhador tem o seu Partido Comunista!”

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar