Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 31 Julho 2016 13:41 Última modificação em Quinta, 04 Agosto 2016 12:36

Governo sírio denuncia novo massacre da coligação ocidental

Avalie este item
(0 votos)
País: Síria / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Abril

Ataques aéreos da coligação liderada pelos EUA, na quinta-feira, sobre a localidade de al-Ghandour, na província de Alepo, provocaram a morte a 45 civis, denuncia o Governo sírio, que pediu às Nações Unidas que tome medidas imediatas.

Em duas missivas, ontem enviadas ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e ao presidente do Conselho de Segurança, Koro Bessho, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Síria condena de forma veemente as «atrocidades cometidas contra civis» pela coligação liderada pelos Estados Unidos.

O Governo sírio exigiu ainda que os responsáveis sejam levados perante a justiça e pediu às Nações Unidas que tome medidas imediatas contra a coligação ocidental, impedindo-a de levar por diante mais ataques aéreos no seu território, informou a agência noticiosa SANA, que a PressTV refere.

As cartas foram enviadas na sequência de um ataque aéreo, executado esta quinta-feira, sobre a localidade de al-Ghandour, a 23 quilómetros da cidade de Manbij, que tem sido palco de grande violência, na província de Alepo. De acordo com informações oficiais, 45 civis foram mortos e estima-se que outros 50 tenham ficado feridos.

O massacre de civis em al-Ghandour, perpetrado pela aviação da coligação ocidental liderada pelos norte-americanos, é o mais recente de vários levados a cabo por esta estrutura militar no Norte da Síria. No dia 23 de Julho, pelo menos 15 pessoas morreram na sequência dos ataques sobre a aldeia de al-Nawajah, a leste de Manbij; no dia 20, um outro ataque aéreo matou 120 civis em Tukhan al-Kubra, a norte da cidade de Manbij; no dia anterior, a coligação militar matou pelo menos 20 civis na cidade de Manbij.

Nas cartas, o Ministério sírio dos Negócios Estrangeiros criticou, mais uma vez, o apoio incessante da França, dos EUA, da Turquia, da Arábia Saudita e do Qatar aos grupos da «oposição moderada», que se configura como apoio aberto à devastação e ao caos criados pelos terroristas no mundo, especificamente na Síria.

Para as autoridades sírias, qualquer campanha antiterrorista no país estará condenada ao fracasso se não for coordenada com o governo, de acordo com o direito internacional e a Cartas das Nações Unidas.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar