Publicidade

Diário Liberdade

Um total de 9.360 venezuelanos retornaram ao país com o plano Volta à Pátria que promove o governo da Venezuela: 76% voltaram pela via terrestre e 24% pela via aérea.

Publicado em América Latina
Quarta, 07 Novembro 2018 06:00

O custo do migrante: mitos versus fatos

[Juliette Robichez*] O Brasil pode se orgulhar de ser um novo polo atrativo para os migrantes do mundo inteiro. Com efeito, por se tornar, em tempo recorde - de 1988, data de adoção da Constituição Federal cidadã, até 2015, fim dos governos liderados pelo Partido dos Trabalhadores que metamorfosearam o país -, uma jovem democracia admirada no mundo inteiro, que conheceu uma estabilidade política excepcional, e por ter sido hasteada como uma das maiores economias do mundo neste mesmo período (passou da 13° posição em 2002 à 7° em 2013 no PIB Ranking Global segundo o Banco Mundial e a UN Global Data Bank), o país conheceu esse fenômeno novo na sua história contemporânea. Atraiu ondas de migrantes europeus fugindo a Espanha ou o Portugal enfrentando as dificuldades econômicas provocadas pela crise norte-americana do sub-prime de 2008, de deslocados forçados em razão de catástrofes naturais como o terremoto de 2010 que afligiu duramente o Haiti, ou da guerra que assola a Síria desde 2011 e, finalmente, de refugiados oriundos da Venezuela, país vizinho que sofre atualmente de uma hiperinflação e do crescimento da violência. A entrada inesperada dessas pessoas no território, leva legitimamente à tona a questão dos impactos da migração na economia do país.

Publicado em Brasil

Os traços mais visíveis das ditaduras impostas pelos Estados Unidos na América Latina podem ser vistos todos os dias nos milhares de migrantes que são forçados a deixar seus países de origem para tentar salvar suas vidas e obter abrigo e comida nos Estados Unidos. ; que é apresentado por especialistas em mentiras como a Meca, como a água que mata a sede, como a terra onde todos os sonhos se tornam realidade.

Publicado em Opiniom Própria

Em 3 de março, o Diário Liberdade publicou uma matéria em que afirmava que a Venezuela recebeu mais migrantes brasileiros do que o Brasil havia recebido venezuelanos no ano de 2017. Entretanto, como alguns leitores observaram, houve uma confusão nos dados.

Publicado em América Latina

Com uma magnificação sobre a migração de venezuelanos, além de uma campanha de xenofobia, presidentes de direita da região e porta-vozes da oposição venezuelana aumentaram seus ataques contra a Venezuela e o governo bolivariano que lidera o chefe de Estado, Nicolás Maduro.

Publicado em América Latina

Por si só o pesadelo de imigrar é terrível a ponto de encaixar o indivíduo vítima de tráfico para exploração sexual, laboral e tráfico de órgãos; de homens, mulheres e crianças, sendo as mulheres e as crianças os mais vulneráveis. Sem deixar de mencionar a comunidade LGBTI que, além de ser discriminada, sofre um abuso maior devido à homofobia e patriarcado.

Publicado em Opiniom Própria

Por Ilka Oliva Corado

Tradução de Raphael Sanz

“Vamos te entregar mas se algo sai errado te matamos”, me disse o coyote apontando-me uma pistola na têmpora. 

Publicado em Opiniom Própria

Por Ilka Oliva Corado

Tradução de Raphael Sanz

Muitos do grupo vomitaram o pouco de soro que haviam bebido quando viram os restos em estado de decomposição. Outros rezavam e para eles o homem da bíblia lia salmos. Havíamos caminhado o dobro de quilômetros desde que chegamos na linha divisória. Três do grupo desmaiaram por insolação, o que nos obrigou a descansar mais tempo até que se recuperassem. Alguns queriam ficar ali mesmo porque já se consideravam mortos e como acontece sempre e em todos os tempos havidos e por haver somos as mulheres as encarregadas de subir o moral dos homens entregues que a adversidade quebra o espírito; nós que de sexo frágil não temos nada, nem a sombra.

Publicado em Opiniom Própria

Por Ilka Oliva Corado

Tradução de Raphael Sanz

Conseguimos subir o barranco e nos afastamos do lugar. Pensamos que o tormento das emboscadas havia ficado para trás. A fronteira não é como contam por aí e por isso perdem-se tantas vidas em tentativas vãs de atravessá-la aos Estados Unidos. Não se ouvem historias de policiais que atiram em indocumentados quando na verdade essa é uma realidade diária. Mas quem os acusaria? Pior ainda, quem acreditaria na palavra de um indocumentado? Ninguém. Nós não valemos como seres humanos dentro desta nação. Com sorte, seremos mão-de-obra barata com a qual os anglo-saxões se beneficiam e nada mais.

Publicado em Opiniom Própria

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar