Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 18 Dezembro 2018 22:20 Última modificação em Segunda, 31 Dezembro 2018 15:12

Venezuela reforça unidade de efetivos ante ameaças de agressão

Avalie este item
(0 votos)
País: Venezuela / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Prensa Latina

Venezuela fortalece hoje a unidade de suas forças armadas diante das crescentes ameaças de agressões militares por parte dos Estados Unidos e outros governos da região, assegurou o presidente Nicolás Maduro.

A esse respeito, o governante informou ontem que mais de 1 milhão e 600 mil venezuelanos integram a Milícia Bolivariana, corpo composto por civis criado por iniciativa do líder revolucionário Hugo Chávez em 2007.

Durante uma mobilização dos efetivos militares celebrada nesta capital, a propósito dos 188 anos da morte do Libertador Simón Bolívar, Maduro solicitou também a estrita vigilância de todo o território nacional.

'Devemos nos preparar para defender cada palmo de nossa pátria dos inimigos. Se algum dia se atreverem, a milícia e a Força Armada Nacional Bolivariana deve expulsar qualquer força invasora', afirmou.

Este total organiza-se em unidades populares de defesa integral, para resguardar o território em perfeita união civil-militar, precisou também o chefe de Estado.

'Trata-se da força mais poderosa da nação para a defesa, são homens e mulheres preparados e comprometidos em corpo, alma e coração em meio a ameaças e ataques', afirmou por sua vez o comandante-geral do corpo de milicianos, Carlos Leal.

Sobre isso, o governante reiterou sua denúncia contra o assessor de Segurança dos Estados Unidos, John Bolton, acusado por Caracas de organizar um plano paramilitar com ajuda do Brasil e Colômbia.

Trata-se de um novo plano contra a constituição, a democracia, e a soberania da Venezuela, afirmou Maduro, ao mesmo tempo que convocou as forças castrenses a não baixarem a guarda para consolidar a paz na nação.

Na última quarta-feira, o presidente revelou um plano de caráter intervencionista preparado por grupos armados para violentar a democracia e impor um governo ditatorial na nação, organizado pelo assessor norte-americano conjuntamente com autoridades brasileiras e colombianas.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar