Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Domingo, 02 Junho 2019 16:09 Última modificação em Domingo, 02 Junho 2019 16:14

Posição da CGTP-IN sobre os resultados eleitorais

Avalie este item
(0 votos)
País: Portugal / Institucional / Fonte: CGT

As eleições de 26 de Maio ficaram marcadas pela elevada abstenção, fenómeno que não pode ser desligado da política anti-laboral e anti-social da UE e do seu distanciamento face à necessidade de desenvolvimento de países como Portugal e do bem-estar da sua população.

As pesadas derrotas do PSD e do CDS confirma que os trabalhadores e o povo rejeitam o regresso ao passado, ao tempo dos cortes nos rendimentos e direitos, da política de sentido único que acentuou a exploração e as desigualdades.

eleicoes europeiasA vitória do PS (que sobe cerca de 2pp em relação às últimas eleições para o Parlamento Europeu), a subida do BE e, sem prejuízo do recuo, os resultados da CDU, confirmam a importância da actual correlação de forças na Assembleia da República e as potencialidades que encerra para fazer avançar direitos e rendimentos. Uma relação que deve ser potenciada, ainda, para responder aos problemas estruturais que continuam a marcar o quadro económico, laboral e social no nosso país.

Registando-se a eleição de um deputado do PAN, estas eleições confirmam sobretudo a importância da adopção de políticas que promovam o avanço nos direitos dos trabalhadores e a coesão social e territorial do país.

Num quadro de crescimento económico, de evolução dos negócios e aumento dos lucros do patronato, é possível, necessário e urgente assegurar o aumento geral dos salários e fixar os 850€ para o Salário Mínimo Nacional, a curto prazo. A estabilidade do emprego, a regulação dos horários e a sua articulação com a vida pessoal e familiar, as 35 horas de jornada de trabalho semanal sem redução de salário são, entre outras, indissociáveis da valorização dos trabalhadores, do reconhecimento das suas qualificações, competências e experiências, da sua continuidade no país e da resposta aos problemas demográficos.

Uma luta que, no momento que vivemos, justifica e exige uma forte mobilização dos trabalhadores contra a proposta de lei do Governo do PS, que vai ser discutida e votada na Assembleia da República e que, não só mantém, como agrava a política laboral de direita. Uma proposta que, a ser viabilizada, levaria à generalização da precariedade, à desregulação dos horários, à tentativa de aniquilação da contratação colectiva e à redução dos rendimentos de quem trabalha.

É altura do PS abandonar a proposta de lei que introduz o retrocesso social. É altura do PS dizer se vai satisfazer os interesses do capital e dar a mão ao PSD e ao CDS, que tiveram uma das maiores derrotas eleitorais dos últimos tempos, ou se, por outro lado, se coloca do lado do trabalho, pela valorização dos trabalhadores e o desenvolvimento económico e social do país.

Este é um tempo de acção, um tempo marcado pelo esforço de quem trabalha que, cumprindo com os seus deveres, tem razões acrescidas para exigir que respeitem e melhorem os seus direitos. Um tempo de impulsionar a luta por melhores condições de vida e de trabalho e por um Portugal desenvolvido e soberano.

Lisboa, 27 de Maio de 2019

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar