Publicidade

Diário Liberdade
Quinta, 19 Setembro 2019 14:21 Última modificação em Quarta, 16 Outubro 2019 02:13

Diante das vacilações do governo venezuelano, PCV defende política revolucionária contra a crise e o imperialismo

Avalie este item
(0 votos)
País: Venezuela / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Resistir

O Partido Comunista da Venezuela (PCV) exortou o governo nacional a implementar "uma política revolucionária contra a crise capitalista e a agressão imperialista".

Um aspecto central disso deve ser "o protagonismo da classe trabalhadora e do povo trabalhador da cidade e do campo na tomada de decisões, na condução política do processo bolivariano e no controle de toda a cadeia de produção, distribuição e comercialização de bens e serviços de consumo de massa pela população".

Carlos Aquino, membro do Birô Político do PCV, expressou a preocupação dos comunistas diante da grave deterioração do poder de compra do povo. "Há mais de um ano, o Executivo nacional assumiu o compromisso de que o salário mínimo e as pensões seriam equivalentes a meio petro – com um preço referencial de 60 dólares por petro, de acordo com o preço estimado de um barril de petróleo –, e essa promessa não foi cumprida; mas, mesmo que fosse cumprido, o mesmo não seria suficiente para cobrir as necessidades básicas dos trabalhadores e de sua família", disse Aquino.

Por isso, expôs o dirigente, o PCV reivindica que se cumpra o que estabelece a Constituição da República: "que os trabalhadores recebam um salário suficiente para cobrir a cesta básica e que ela seja atualizada regularmente". O PCV questionou a inação do governo nacional em atacar o alto custo de vida, expresso nos incessantes aumentos de preços, "deixando mãos livres para os capitalistas em detrimento da renda salarial dos trabalhadores". Nesse contexto, o Partido do Galo Vermelho exige do Executivo o estabelecimento de um controle real de preços, publicando o preço de venda ao público (PVP) em cada produto e facilitando os mecanismos de controle pelos trabalhadores e pelo povo.

Contra as políticas trabalhistas regressivas

O PCV insistiu em denunciar o avanço das ações antissindicais e antioperárias por parte de funcionários do Ministério do Trabalho em nível nacional. "Conclamamos o Presidente Nicolás Maduro a pôr um fim à situação que vêm sofrendo milhares de trabalhadores, especialmente frente aos funcionários públicos que agem descaradamente em favor das patronais públicas e privadas, mas sobretudo em benefício da burguesia", disse Aquino.

"Por isso", enfatizou o dirigente: "o PCV insiste na exigência de que o governo deixe sem efeito as diretrizes sobre as convenções coletivas emanadas do ministro Piñate em outubro do ano passado, que fizeram retroceder importantes direitos e conquistas dos trabalhadores. O Partido Comunista manterá e intensificará as ações de luta e protesto da classe trabalhadora na defesa de seus direitos e contra políticas trabalhistas regressivas", reafirmou.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar