Publicidade

Diário Liberdade
Sábado, 04 Fevereiro 2017 02:53 Última modificação em Sábado, 11 Fevereiro 2017 09:57

Docentes insistem na necessidade de convocar vagas para professorado de português na Galiza Destaque

Avalie este item
(0 votos)
País: Galiza / Língua/Educaçom / Fonte: DPG

Perante a iminente publicação da oferta de emprego público da Conselharia de Educacção para 2017 na Comunidade Autónoma da Galiza, a Associação Docentes de Português na Galiza (DPG), solicita que nesta oferta sejam incluídas vagas da especialidade em língua portuguesa no ensino secundário.

Esta petição justifica-se por:

  1. Mais de 1700 pessoas estudam português nos centros de ensino secundário galegos no presente ano académico (http://www.edu.xunta.gal/portal/node/19285), além de mais de outras 1100 nas EOIs (Escolas Oficiais de Idiomas).

  2. Há mais de 15 anos que a língua portuguesa é lecionada como matéria própria nos centros de ensino público galegos.

  3. A Lei Paz-Andrade, aprovada por unanimidade pelo Parlamento galego já em março de 2014, estabelece que:

«É preciso fomentar o ensino e a aprendizaxe do portugués, co obxectivo, entre outros, de que empresas e institucións aproveiten a nosa vantaxe lingüística, un valor que evidencia a importancia mundial do idioma oficial dun país veciño, tendo en conta tamén o crecente papel de bloques como a Comunidade dos Países de Lingua Portuguesa.»

E, no seu artigo 2, fixa que:

«O Goberno galego incorporará progresivamente a aprendizaxe da lingua portuguesa no ámbito das competencias en linguas estranxeiras nos centros de ensino da Comunidade Autónoma de Galicia.»

  1. A inexistência de vagas da especialidade de português nos liceus galegos coloca numa constante e permanente situação de incerteza e precaridade todos estes anos de trabalho, esforço e dedicação a favor da língua portuguesa, tanto do corpo docente como do discente. Convocando vagas de português seria evitado, por exemplo, que o translado ou a baixa de um/a docente fizesse com que desaparecesse o português da oferta educativa dum centro, devido a que a nova pessoa contratada não constuma ser especialista na matéria, nem às vezes, minimamente formada na área. Ou seria evitado também que a matéria de língua portuguesa continuasse a ser lecionada mas não com a qualidade exigível no ensino público.

  1. A Galiza está muito atrasada face da Estremadura espanhola na implementação da língua portuguesa como uma prioridade estratégica. Enquanto na Galiza não chegam a 10% os centros de ensino primário e secundário que têm oferta de português, na Estremadura alcançam 71%. Isto tem-se traduzido na primacia da autonomia estremenha nas relações bilateriais luso-espanholas.

Estas mínimas razões, suficientes e de evidente importância, levam o coletivo a insistir mais uma vez na sua petição à Conselharia da necessidade de convocarem vagas específicas de língua portuguesa no ensino secundário galego sem mais demora.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar