Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 17 Outubro 2017 09:07 Última modificação em Domingo, 22 Outubro 2017 01:52

Grandes manifestaçons em numerosos pontos da Galiza contra os reponsáveis políticos dos incêndios

Avalie este item
(1 Voto)
País: Galiza / Consumo e meio natural / Fonte: Diário Liberdade

Com quatro pessoas mortas em diferentes lugares do sul do País, a vaga incendiária dos últimos dias, nom totalmente extinta, supujo um desastre sem precedentes pola sua dimensom nacional.

A brutal vaga de incêndios, anunciada polo tempo seco e polo início progressivo e in crescendo, deixa milhares de hectares calcinados, perdas milionárias em bens florestais e habitacionais, mas nom custou ainda nem um só posto político, apesar da evidente relaçom com o meio milhar de brigadistas anti-incêndios dispensados polo presidente da Junta nas últimas semanas.

É umha velha e conhecida história na Galiza, mas que desta vez atingiu limites nunca vistos: centenas de fogos em simultáneo por boa parte da Galiza, com umha grande devastaçom do território fértil, fogos penetrando em núcleos urbanos, casas e fábricas a a arderem e quatro pessoas mortas, bem como dúzias de feridas e afetadas polos fumos.

As instituiçons espanholas voltárom a demonstrar a sua desistência frente aos problemas reais da maioria do nosso povo. Escassíssimos recursos, desleixo e falta de comunicaçom e informaçom caracterizárom especialmente umha jornada negra como a do domingo. Só a açom direta do povo compensou e contivo no possível o avanço dos fogos.

Grandes mobilizaçons contra a impunidade

Um dia depois, e também de forma espontánea, fôrom convocadas mais de 30 concentraçons e manifestaçons um pouco por toda a Galiza. Milhares de pessoas em quase todas as cidades, centenas em numerosas vilas. Massiva resposta reclamando soluçons  para um problema de País que os meios do sistema querem despachar com referências a "pirómanos", "grupos organizados" e "terrorismo ambiental", apresentando todo isso como resposta irracional de um povo doentio: o galego.

A realidade é mais social e menos "clínica": na Galiza, como em Portugal, vigora um sistema florestal ao serviço de umha indústria extrativa de carácter espoliador, que fomenta a produçom de madeira de eucalipto para elaborar pasta de papel barata e que conseguiu, no último meio século, converter a faixa atlántica num grande eucaliptal ao seu serviço. Todo isso, nom só com a cobertura legal e política dos consecutivos governos autonómicos galegos (e governos portugueses!), mas também sem qualquer responsabilidade sobre os efeitos ambientais e económicos dessa atividade.

Nom é exagero dizer que ENCE som os amos do sector e o governo do PP (como os anteriores) os seus serventes. E, ao que todo indica, assi continuará a ser, porque todos os meios fam coro para a versom oficial que todo o explica com a seca e a tendência esquisita dos galegos a atear fogo aos seus montes.

As manifestaçons reclamárom umha outra política florestal, a ilegalizaçom do PP, o processamento de políticos e empresas envolvidas no negócio papeleiro. As sedes da Junta fôrom alvo de concentraçons em Ferrol e Vigo, entre outras. Também se exigiu o fim da monocultura de eucalipto, mas os meios de comunicaçom, com destaque para a TV e Rádio Galega, preferírom minimizar essas demandas e apontar o dedo para os "dramas humanos". Daí que também o pessoal dos meios públicos denunciasse a manipulaçom e censura que o PP aplica com mao de ferro.

Nom que os dramas humanos nom importem. Ao invés, som eles precisamente os que deveriam levar-nos a tomar medidas políticas de fundo.... ou todo continuará na mesma.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar