Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 21 Agosto 2016 12:43 Última modificação em Quarta, 24 Agosto 2016 00:52

Iêmen: 900 mil pessoas protestam contra bombardeios liderados pela Arábia Saudita Destaque

Avalie este item
(0 votos)
País: Iémen / Direitos nacionais e imperialismo / Fonte: Opera Mundi

Concentração foi bombardeada pela coalizão árabe; 7 mil pessoas, sendo metade civis, morreram entre março de 2015 e julho deste ano

Cerca de 900 mil pessoas tomaram as ruas de Sana, capital do Iêmen, para protestar contra os ataques aéreos liderados pela Arábia Saudita e manifestar apoio ao Conselho Político Supremo, órgão do governo criado pela oposição xiita, comandada pelos houthis, seguidores do ex-presidente Alí Abduláh Saleh.

A coalizão árabe realizou bombardeios contra os manifestantes. Até o fechamento desta matéria, não havia informações sobre número de possíveis mortos os feridos decorrentes da ação.

O presidente do conselho, Saleh al Samad, que disse ter a intenção de formar governo do país e o presidente do Parlamento, Yahia al Radi, estiveram presentes na marcha.

Os manifestantes içaram bandeiras do Iêmen e fotos de Samad. Eles também pediram unidade entre os iemenitas, como afirmou a agência Efe.

Nesse sentido, Samad afirmou que “a formação do governo pretende unificar todos os esforços para chegar a uma situação estável e a celebração de eleições gerais”.

Desde março de 2015, o presidente Abdo Rabu Mansur Hadi vive exilado na Arábia Saudita. O mandatário conta com apoio militar da coalizão liderada pela Arábia Saudita que combate os houthis.

A aliança militar começou em 2015, mas os ataques foram intensificados no início do mês, após as negociações de paz no Kuwait sob a égide das Nações Unidas, falharem.

O fracasso se deveu ao anúncio, feito por Samad, de que seria criado o Conselho Político para administrar país. Tanto Hadi, como a ONU, criticaram o anúncio.

Os manifestantes presentes nas praças de Sana neste sábado, no entanto, criticam o silêncio da comunidade internacional e das Nações Unidas quanto às mortes que estão ocorrendo pelas ações da coalizão árabe.

Cerca de sete mil pessoas, sendo mais da metade civis, morreram no Iêmen entre março de 2015 e julho deste ano. O número de feridos ultrapassa 30 mil. Além disso, cerca de 2,5 milhões de pessoas fugiram para evitar a violência.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar