Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 03 Outubro 2017 00:45

A Espanha bourbónica vê cair o pano

Avalie este item
(0 votos)
Ramiro Vidal

Clica na imagem para ver o perfil e outros textos do autor ou autora

Lembro um 25 de Julho no que, trás o almoço no Campus Sul de Compostela, numha daquelas jornadas reivindicativas nos tempos nos que eu militava em NÓS-UP, ter assistido a umha disertaçom do Iñaki Gil San Vicente sobre o direito de autodeterminaçom.


Este direito, contava ele, é a essência mesma da liberdade, pois nom pode entender-se que há liberdade se os colectivos e os indivíduos nom temos a capazidade de escolher em cada momento sobre o que queremos fazer, assomindo a responsabilidade e as conseqüências das nossas decisons de maneira plena. Punha exemplos tam quotidianos e compreensíveis como a assembleia operária que decide ir à greve, ou a mulher que trabalha na casa e que decide a umha altura da jornada interromper as tarefas que atende habitualmente para dispôr do seu tempo e combinar por exemplo com as suas amigas para tomar um café.

Isto pode-se trasladar a contextos mais amplos... por exemplo um estado que decide abandonar umha estructura supra-estatal como a UE, como foi o caso do Reino Unido, ou um país sem estado que escolhe independizar-se da sua metrôpole. A democracia é isso, que o povo decida com todas as conseqüências. E assomindo o acertado ou o errôneo da decisom. Nem mais, nem menos.

A classe política espanhola é inimiga desse conceito de democracia. As palavras do Pedro Sánchez valorando o por alguns inesperado resultado do referendo do Brexit som bem expressivas do conceito que no “Planeta PSOE” tenhem da democracia manifestada no uso de umha das ferramentas mais democráticas que há enquanto a participaçom política: “Isto é o que acontece quando deixamos em maos dos cidadaos decisons que tenhem que tomar os políticos”. Claro, se deixamos ao povo votar podem sair vencedoras propostas que vam em contra dos interesses aos que realmente servimos... isso é o que está a expressar. Também lembro as palavras de Esperanza Aguirre numha ocasiom a falar contra as assembleias abertas do 15-M: “Quero recordar que estamos numha democracia re-pre-sen-ta-ti-va”... ante tudo, nunca reconhecer a legitimidade de qualquer expressom de democracia fora desses templos do espectáculo da política profissional onde eu me manejo com soltura e me sento blindada e protegida para decidir por todo o mundo, mesmo em contra dos direitos da maioria.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar