Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Segunda, 24 Julho 2017 13:38

PEPAC: 81% dos ex-estagiários do Estado estão desempregados

Avalie este item
(0 votos)
País: Portugal / Laboral/Economia / Fonte: Esquerda

O estudo, publicado pelo “Movimento PEPAC - Precários do Estado”, confirma que oito em cada dez dos inquiridos continuam desempregados desde que terminaram o estágio na Administração Pública.

A sigla PEPAC refere-se ao Programa de Estágios Profissionais na Administração Central, que entrou em 2015 na terceira edição com 1437 vagas a concurso. Os resultados desse concurso seriam divulgados a 21 de setembro desse ano mas a colocação foi sucessivamente adiada, só sendo integrados a 4 de abril de 2016, já pelo atual governo, com uma bolsa de estágio de 691,71 euros.

Metade dos ex-estagiários inquiridos dizem ter assumido funções nas mesmas condições que os restantes técnicos superiores ao longo de todo o estágio. Ainda assim, 87% considera que o PEPAC não lhe deu oportunidades de emprego e 47% diz não ter sido seleccionado para qualquer entrevista de emprego, dentro ou fora da sua área de estudos. Acresce que 82% diz que o programa não lhes permitiu desenvolver competências úteis para o exercício de funções no sector privado.

Estes resultados revelam ainda, segundo o Movimento, que os estágios PEPAC ficaram muito longe dos objetivos que se pretendiam, nomeadamente na empregabilidade.

O Governo acabou por excluir estagiários do programa de regularização extraordinária de precários (PREVPAP), porque considerou o vínculo de trabalho “adequado” e com “contrato”, o que permite ao governo argumentar que não são precários mesmo que estes estejam a desempenhar funções permanentes sem vínculo correspondente.

Na página de facebook do Movimento, entre vários testemunho pode ler-se o de um estagiário que afirma que “durante 12 meses desenvolvi atividades que são permanentes onde estive inserido (...). Participei numa reunião a nível nacional com os colegas, desempenhei as funções que todos desempenham e até cheguei a trabalhar ao sábado quando assim foi necessário”. Por isso, assumiu “que tivéssemos a oportunidade de ser integrados” mas, no final estágio, nada aconteceu apesar “do bom desempenho” reconhecido pela equipa.

Em declarações ao jornal Público, José Abraão, secretário-geral da Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP), considera que os estágios continuam a ser benéficos “no fornecimento de experiência e no contacto com o trabalho”, mas agora há um problema: “A taxa de empregabilidade é baixa, em concreto na Administração Pública, muito por consequência das limitações às admissões”.

Segundo o dirigente da FESAP, a elevada taxa de não empregabilidade que os resultados revelam pode estar relacionada com a conjuntura vivida no país: “Antes do período de ajustamento financeiro, houve momentos em que o nível de sucesso relativamente ao emprego dos estagiários foi muito significativo. A partir do momento em que veio o programa de ajustamento financeiro, resultou daí constrangimentos às admissões, e, naturalmente as coisas dificultaram-se”, explica. Condições de admissão que ainda não foram alteradas.

O Movimento PEPAC enviou os resultados do estudo e as notas das contradições do programa de estágios para os sindicatos (Frente Comum, Federação de Sindicatos da Administração Pública e Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado), aos ministérios e aos partidos políticos com assento parlamentar.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar