Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 07 Novembro 2017 17:23 Última modificação em Sábado, 11 Novembro 2017 17:41

Maduro: 100 anos depois da Revolução Russa temos que defender as bandeiras da inclusão

Avalie este item
(1 Voto)
País: Venezuela / Reportagens / Fonte: AVN

No centenário da Revolução Russa, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, defendeu a reivindicação das bandeiras da inclusão das grandes maiorias, que há 100 anos foram levantadas pela classe operária e os trabalhadores rurais para uma vida mais digna e justa, só possível com o desenvolvimento do socialismo.

"Nos 100 anos da Revolução Russa, miramos o futuro das grandes lutas que temos que dar, comprendendo a necessidade de manter as bandeiras da inclusão, do poder dos operários, dos camponeses, das grandes maiorias, sempre no alto, porque são o socialismo científico levado à prática necessária, para uma vida mais justa e para todos", disse o chefe de Estado em uma mensagem publica nesta terça-feira no Facebook e em outras redes sociais.

Este feito histórico permitiu grandes avanços na política, esportes, educação, cultura e na ciência.

"Hoje celebramos o centenário do triunfo da Revolução Bolchevique na Rússia, realizada pelos socialistas sob o comando de Vladimir Ilich Ulianov 'Lenin', e que logo de um difícil processo de confrontação se transformaria na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Historicamente é conhecida como a 'Revolução de Outubro', já que nesse ano a Rússia se guiava pelo calendário Juliano e os fatos ocorreram no final de outubro", escreveu o mandatário.

O presidente Maduro destacou o papel, no dia 7 de novembro de 1917, da classe operária, dos camponeses e soldados, e de um modelo político e social de transformações que enfrentaram o capitalismo e seus cúmplices.

"Hoje os povos do mundo que lutam por um mundo melhor recordam aquele feito de Lenin, que fez da Rússia e outras nações fortes centros industriais, agroalimentares, científicos e militares que tiveram um papel fundamental no desenvolvimento histórico da  humanidade, sendo seu capítulo mais importante o combate e destruição do fascismo e do nazismo na II Guerra Mundial, além de ser um dos polos políticos mais importantes da maior parte do século XX", afirmou.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar