Publicidade

Diário Liberdade
Quarta, 15 Junho 2016 15:58 Última modificação em Sexta, 17 Junho 2016 19:17

Cinco grandes mentiras sobre a Venezuela na mídia internacional

Avalie este item
(2 votos)
País: Venezuela / Comunicaçom / Fonte: Cubadebate

Tradução do Diário Liberdade

A campanha midiática contra a Venezuela não é conto de fadas, é uma realidade.

A Telesur expõe cinco grandes mentiras. Mídia internacional, Estados Unidos e outros que buscam se apoderar dos recursos da Venezuela propagam grandes mentiras.

Washington e a CIA se aproveitam da mediocridade política da oposição venezuelana e de debilidade por dinheiro e poder para utilizá-los como ponta de lança e colocá-los no governo por meio da força, já que sempre fracassam pela via eleitoral. Aqui algumas falácias:

Mentira número um

A mídia internacional, os Estados Unidos e outros asseguram que não existe liberdade de expressão na Venezuela e que o governo socialista monopoliza os meios de comunicação para silenciar a crítica.

A verdade

Nas bancas estão diariamente à venda três jornais que são abertamente oficialistas: Correo de Orinoco, Ciudad Caracas e o Diario Vea. Dois são do Estado e um é privado.

Por outro lado, existem cinco que são notoriamente de oposição, o El Nacional, Tal Cual, El País, El Universal e a revista Zeta. O diário Últimas Notícias é considerado neutro, enquanto que na televisão a partilha é igual: seis de oposição e seis pró-governo.

Mentira número dois

A mídia internacional, a OEA de Diego de Almagro, os EUA e outros muitos dizem que na Venezuela não há democracia, mas, por exemplo, sobre o México não dizem nada apesar de existirem muitos estados que têm sido governados pelo mesmo partido por 80 anos e a presidência do país ter estado sob controle do PRI de Enrique Peña Nieto em 73 dos últimos 85 anos.

No último dia 6 de junho na Cidade do México só votaram 25% da população. A primeira força política, Morena, foi votada por somente 6% da população total. Isso sim não é uma democracia.

A verdade

Na Venezuela são realizadas eleições periodicamente. As mais recentes foram legislativas. A oposição venceu, conquistando 109 assentos contra 54 do partido governante.

Mentira número três

A agência francesa AFP publicou em 21 de maio uma nota que foi reproduzida rapidamente em toda a mídia internacional e alguns meios na Venezuela, mesmo sabendo que era uma enorme mentira. A nota dizia que um hambúrguer custava no país sul-americano 170 dólares e um quarto de hotel, 69 mil dólares.

A verdade

No câmbio oficial de 580 bolívares por um dólar, esse hambúrguer custa pouco menos de 3 dólares, mas baseado no câmbio no mercado negro, o mesmo hambúrguer custa mais ou menos 1,70 dólares. O hotel custa pouco mais de 100 dólares, mas para um turista, que são os que se hospedam nesses estabelecimentos, o hotel custa menos de 70.

O título dessa nota diz: “Venezuela, onde o hambúrguer custa no câmbio oficial 170 dólares”. Embaixo da legenda da foto, diz: “Caracas (Venezuela) (AFP) – APAGAR – Este artigo foi apagado devido a um erro na conversão da moeda”. No entanto, a nota foi publicada em dezenas de outros meios e o dano midiático contra a Venezuela já era irreversível.

Mentira número quatro

O Huffington Post e a Reuters publicaram em fevereiro de 2014, pouco depois dos protestos “pacíficos”, segundos esses veículos, convocados pela oposição, que o dirigente Leopoldo López era inocente. Huffington Post, CNN, EFE, El País e muitos outros publicaram artigos dizendo que ele era inocente e que as mortes registradas naquele 12 de fevereiro haviam sido todas de opositores.

A verdade

O chamado aos protestos por parte de López foi com toda a intenção de desestabilizar o país. O dirigente ultradireitista era vinculado à CIA e à Washington, de onde inclusive recebeu financiamento. Todos os que morreram nesse dia eram simpatizantes do governo.

O internacionalmente reconhecido diário francês Le Monde publicou em março de 2015 o seguinte:

“Apesar de todos esses detalhes e provas fornecidos pelas máximas autoridades venezuelanas, os meios de comunicação internacionais (inclusive na América Latina) deram pouco crédito a este anúncio de tentativa de golpe de Estado.

Essa 'incredulidade' faz parte – há quinze anos – da estratégia dos grandes meios de comunicação dominantes em guerra contra a revolução bolivariana, para desacreditar as autoridades bolivarianas.”

O Le Monde também revelou como um chefe militar traidor tinha planos de atacar com helicópteros o palácio presidencial em Caracas com a intenção de matar Nicolás Maduro. Por trás de tudo, López e outros tantos, financiados pelos Estados Unidos.

Mentira número cinco

Reuters, AFP, ABC da Espanha, BBC e muitos outros meios têm se empenhado em mostrar através de fotos muito manipuladas que a escassez na Venezuela é muito mais grave do que realmente é.

O governo venezuelano não nega que existe uma escassez de produtos, mas com provas e confiscos tem demonstrado que os responsáveis por desaparecer produtos básicos são comerciantes e empresários simpatizantes da direita ou que simplesmente preferem matar de fome o seu próprio povo para obter maiores ganhos.

Inclusive, um empresário basco expôs com fotos como nos bairros dos ricos em Caracas os supermercados têm de tudo.

A verdade

Na realidade há sim ovos, por exemplo, mas os produtores preferem deixá-los apodrecer para obrigar que o preço suba. Também há leite, se não como alguém explica que os derivados do leite sobram em toda a parte, até nas ruas, os os comerciantes vendem creme, queijo, iogurte, a preços muito altos.

Também há centenas de provas de que milhares de toneladas de produtos que foram confiscados estavam indo tanto para a Colômbia, como também sendo enterrados e em vinícolas.

Retirado de Telesur.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar