Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 11 Setembro 2017 16:54 Última modificação em Sábado, 16 Setembro 2017 17:38

Da "ditadura" às primárias: O giro extremo do discurso opositor na Venezuela

Avalie este item
(2 votos)
País: Venezuela / Reportagens / Fonte: AVN

A Mesa da Unidade (MUD) realizou neste domingo eleições primárias para definir candidatos únicos para os 19 governos estaduais do país, com o objetivo de participar das eleições regionais marcadas para outubro pelo Poder Eleitoral. A decisão contradiz o discurso do grupo político nos últimos três meses, quando a coligação dizia "desconhecer" o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) e assegurava que não participaria de eleições organizadas pelo organismo.

Ao mesmo tempo que asseguram que na Venezuela existe um regime ditatorial, os principais porta-vozes e partidos políticos da direita nacional se preparam para participar de um eleição com voto direto, universal e secreto, organizado e regido pela instituição que vinham atacando.

Helena Márquez, que participou da primária no centro de votação instalado pela MUD na Praça Bolívar de Chacao, em Caracas, disse que apesar de estar "em uma ditadura", a oposição deve "tomar o controle de importantes estruturas de poder como são os governos e prefeituras".

O secretário-geral de Ação Democrática, Henry Ramos, que até agosto assegurava que era necessário nomear de forma ilegal uma nova direção do CNE para que a oposição participasse das eleições, declarou que a coligação de direita está obrigada a participar das eleições regionais para sustentar a imagem democrática que projetou através da mídia internacional.

"A comunidade internacional está apoiando nossa participação eleitoral porque essa foi uma das propostas que fizemos, que se marcara um calendário eleitoral. Agora que marcaram o calendário, ainda com as confusões e possibilidades de armadilhas, o que vamos dizer à comunidade internacional: que não vamos participar das eleições?", disse no comando nacional da MUD, no estado de Miranda.

Entre abril e julho de 2017, a MUD promoveu e financiou múltiplos focos de violência política em diversas cidades do país, com a intenção confessa de gerar um clima de "ingovernabilidade" e uma ruptura da ordem constitucional da República que justificasse a intervenção estrangeira na Venezuela. Os dirigentes da direita asseguravam que não participariam de nenhuma eleição sem que antes se interrompesse -fora do prazo e de forma ilegal- o período constitucional do presidente Nicolás Maduro.

Quatro meses depois de ter ativado essa agenda, que fracassou em seus objetivos insurreicionais, finalmente a coligação opositora participará do processo eleitoral, que enfrenta com divisões internas fruto das contradições do seu discurso.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar