Publicidade

Diário Liberdade
Segunda, 26 Setembro 2016 19:10 Última modificação em Quarta, 05 Outubro 2016 09:18

Eleiçons autonómicas na Galiza: A profunda crise sistémica nom abala a estabilidade institucional Destaque

Avalie este item
(2 votos)
País: Galiza / Institucional / Fonte: Diário Liberdade

Como previsto, nengumha das forças de oposiçom institucional arranhou sequer o claro domínio do Partido Popular na Galiza.

O PP aumentou em votos e percentagens, mantendo umha folgada maioria absoluta no Parlamento autónomo galego, onde o resto de cadeiras é repartido em quinhons idênticos por En Marea (14, ganha 5) e PSOE (14, perde 4), ficando o BNG com (6, perde 1).

A redistribuiçom de representantes da oposiçom institucional (diversas famílias social-democratas, incluído o soberanista BNG), nom altera nada de fundamental no Parlamento, permitindo ao Partido Popular manter as políticas ultra neoliberais que o caraterizam.

Desmobilizaçom geral, hegemonia conservadora

Ao que todo indica, o abandono das ruas para se limitar à concorrência exclusivamente eleitoral por parte dos chamados "movimentos sociais" provenientes da vaga de descontentamento do 15M, aglutinados sobretodo por En Marea (Podemos + IU + Anova), confirma que a direita ganha quando joga "na casa"; quer dizer, sem conflitos nem pressom nas ruas.

A única surpresa parcial foi o bom desempenho do BNG, a única opçom opositora com um certo perfil de esquerda, se bem incorporado à mesma voragem eleitoral que absorve todas as energias da resposta à direita na Galiza dos últimos anos.

Com um PSOE deprimido pola importante queda de apoios (de 20% para 17%), o novo "líder da oposiçom", o juiz Luís Villares, já confirmou que o pensamento do seu grupo político (com 19% de apoios) está em 2020, quando aspiram a disputar novamente a maioria incontestada do PP.

Salientável também o fracasso de Ciudadanos no seu assalto ao Parlamento, com um discurso e um programa abertamente ultra, cheio de agressivo nacionalismo espanhol e neoliberalismo em grandes doses. Fica fora.

Apesar de todo, o futuro em aberto

Sem umha expressom partidária da esquerda revolucionária nem independentista, resta unicamente comprovar se o BNG também continuará a limitar a sua açom política ao espetáculo mediático-institucional ou a alarga a tentar espicaçar o descontentamento em forma de contestaçom de massas nas ruas galegas. Isso porque as últimas décadas tenhem demonstrado suficientemente que no interior dos parlamentos burgueses nengumha esquerda consegue mudar nada de relevante e a crise económica só vai aumentar, tal como as respostas reacionárias dos governos.

Por outra parte, o povo galego tem dado nos últimos anos mostras de disponibilidade para a luita social nas ruas, muito acima da média espanhola em termos de mobilizaçons, conflitos laborais, etc, mas carece nesta altura de umha direçom política com aspiraçons para além das reduzidas dimensons do Parlamento do Hórreo e das restantes sedes institucionais da Comunidade Autónoma. E aí sim, nas ruas, fôrom conquistados direitos e mesmo posiçons eleitorais, embora só pontualmente, a partir de conflitos de massas desenvolvidos fora da institucionalidade burguesa.

Cabe sublinhar finalmente a reveladora reaçom da esquerda espanhola nas redes sociais, onde proliferam insultos e frases racistas e xenófobas contra os galegos e galegas, pola vitória da direita, como se nom fosse esse o resultado mais habitual no conjunto do Estado espanhol (e mais além!).

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar