Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 11 Novembro 2018 22:27

Probabilidade da Escócia votar pela independência é 50/50

Avalie este item
(0 votos)
País: Escócia / Resenhas

Em Novembro de 2013, o parlamento escocês apresentou um referendo ao governo do Reino Unido para a independência da Escócia. O voto para finalizar esta decisão por parte do povo escocês ocorreu quase um ano depois da proposta ser apresentada ao governo britânico. Foi então a 18 de Setembro de 2014 que os escoceses votaram sobre a independência da Escócia do Reino Unido, uma decisão bastante renhida, com 55% dos votos a rejeitar a separação da Escócia doresto do Reino Único como um país independente, em muito justificado com interesse em manter a Escócia conectada à União Europeia. Com apenas 400 mil votos a definir a decisão final, esta votação foi a de maior adesão de sempre no Reino Unido, com 84.6% dos qualificados para votar terem comparecido no dia do voto.

No entanto, 2 anos após esta decisão, deu-se um novo referendo, desta vez por parte de todo o Reino Unido para a saída da União Europeia, também conhecido como Brexit. O referendo teve data no dia 23 de Junho de 2016, e foi para surpresa de muitos que 51.89% dos votos foram a favor da saída do reino britânico da União Europeia. Estatísticas mostraram que a Escócia foi onde uma maior percentagem da população votou contra a saída do Reino Unido da EU, mas infelizmente não foi o suficiente para manter o país na comunidade europeia.

referendo britânico originou uma grande polêmica a nível nacional assim como em outros países da União Europeia. Inconsistências nas campanhas e negociações entre a União Europeia e o Reino Unido são os principais motivos para o descontentamento da população em relação ao resultados do referendo Brexit. Alegações indicam falsificação e distorção de informação para benefício das campanhas a favor da saída da União Europeia, o que parece ter influenciado uma das principais razões da população votar a favor da saída: falta de informação sobre os prós e contras da saída do Reino Unido da UE que levaram a um voto menos informado por parte da população britânica.

Sendo o Reino Unido uma comunidade com uma taxa elevada de imigrantes, muitos foram os que começaram a temer pela viabilidade dos seus passaportes e vistos. No entanto, para cidadãos da União Europeia, espera-se que com que as negociações do Brexit possam garantir a sua residência permanente, enquanto que por outro lado, o destino de refugiados e os requisitos para atribuição de vistos para outros imigrantes pode vir a sofrer drásticas alterações.

A Escócia foi uma das uma das áreas do Reino Unido mais descontentes em relação ao resultado deste referendo, pois mais de 60% da população nacional votou contra a saída da comunidade europeia. Novas estatísticas do SNP (Scottish National Party) mostram que com a aproximação da data oficial do Brexit, os escoceses mostram mais interesse na proclamação da sua independência no caso das negociações entre o Reino Unido e a UE não chegarem a um acordo que agrade o parlamento escocês. O Reino Unido e a União Europeia têm uma relação recíproca no que toca a comércio, indústria e apoio militar, que iria sofrer graves alterações com a saída do Reino Unido.

De momento, as estimativas mostram que 52% dos questionados são a favor da independência da Escócia, independentemente do resultado final das negociações. É assim de esperar que caso tais negociações não corram como esperado, que a percentagem de escoceses a favor da independência aumente, criando a possibilidade de um novo referendo vir a ter lugar num futuro próximo. Essa possibilidade vem já sendo seriamente considerada, sendo que agora sites como aBetway colocam da Escócia votar contra ou a favor da independência em 50/50, sendo que no início do ano as probabilidades do voto pela independência eram bastante baixas, demonstrando que à medida que o processo do Brexit se arrasta e as consequências são um pouco mais evidentes, os escoceses cada vez mais olham para a independência como uma alternativa viável.

A independência da Escócia é um assunto bastante sensível de momento, com a população dividida entre o Sim e o Não e o que será possivelmente a melhor decisão para o país. Um referendo em 2018 já não é uma possibilidade, mas após a saída do Reino Unido da UE a 29 de Março de 2019, existe uma chance de que a Escócia proponha um novo referendo.

A separação do povo escocês do Reino Unido será mais uma perda para a comunidade britânica, e poderá levar a um efeito dominó sobre as outras naçõespertencentes ao Reino Unido, como Gales e a Irlanda do Norte, e causar a total fragmentação do país. Nada é certo, e como foi anunciado por parte do parlamento escocês, o resultado final das negociações com a União Europeia irá definir o destino da Escócia no Reino Unido.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar