Publicidade

Diário Liberdade
Terça, 28 Mai 2019 13:07 Última modificação em Terça, 11 Junho 2019 01:03

KKE mantém representantes comunistas no Parlamento Europeu e registra crescimento nas eleições locais

Avalie este item
(1 Voto)
País: Grécia / Institucional / Fonte: PCB

O Partido Comunista da Grécia (KKE) emerge como uma consistente força de resistência.

Comitê Central do Partido Comunista da Grécia (KKE)

No dia 26 de maio, foram realizadas eleições triplas na Grécia: Parlamento Europeu, eleições regionais e municipais.

O KKE conseguiu reeleger os dois deputados que tinha no Parlamento Europeu, acumulando 257.360 votos ou 5,5% (com 83% da integração).

Além disso, as cédulas da coligação “Comício do Povo” passaram para o 2º turno nos 5 Municípios que tinham candidatos a prefeito comunistas, enquanto nas regiões e municípios em geral, o “Comício do Povo” aumentou significativamente o número de membros eleitos para os legislativos municipais.

O registro do descontentamento popular nas eleições está levando o partido governante a anunciar eleições nacionais antecipadas para o final de junho.

Em sua declaração aos meios de comunicação de massa, Dimitris Koutsoumpas, Secretário Geral do CC do KKE, observou o seguinte a respeito dos resultados das eleições:

“Antes de tudo, gostaríamos de agradecer a todos aqueles que responderam ao apelo do KKE para unir forças com ele. Todos os que nos prestigiaram, participando das eleições apoiando o Partido, mas também todos aqueles que, em condições difíceis, foram às urnas e votaram no KKE nas eleições para o Parlamento Europeu e no “Comício do Povo” nas eleições municipais e regionais. Gostaríamos de agradecer especialmente a todos que deram esse passo pela primeira vez, aos jovens que deram seu primeiro voto ao nosso partido.

Acima de tudo, a batalha das eleições europeias, mas também a das eleições locais, teve características que, na verdade, se referem a eleições nacionais.

Os resultados eleitorais registram mais uma alternância antipovo entre SYRIZA e ND, isto é, entre os dois maiores partidos que representam os interesses do capital, da UE e da OTAN.

Confronto, polarização, falsas promessas, dilemas extorsivos, especialmente entre os dois partidos do bipolarismo, criaram um clima que afetou os estratos populares que ainda não acreditam em sua própria força, deixando-a inexplorada.

Como todos sabem, o KKE – desde o primeiro momento – enfrentou todas as batalhas eleitorais com critérios políticos uniformes em todas as pesquisas. Como dissemos em muitas ocasiões, a UE dá diretrizes antipopulares, os governos as implementam, as autoridades municipais e regionais as especificam, dentro de um quadro institucional asfixiante que foi criado de forma conjunta por todos os outros partidos que governaram.

Com os resultados até agora, o KKE conquista cerca de 6% de votos e elege 2 membros do Parlamento Europeu. As cédulas do “Comício do Povo” passam para o 2º turno nos 5 Municípios onde tivemos a maioria nos últimos cinco anos. No entanto, em outros municípios, onde não chegamos ao 2º turno, as cédulas do “Comício do Povo” registraram uma presença significativa em todos os municípios que variam em presença com centenas de novos vereadores nas Câmaras Municipais.

É positivo que o KKE continue sendo uma força consistente para os interesses populares, com a tendência de renovar suas forças.

Naturalmente, não subestimamos o fato de que a correlação de forças ainda é muito negativa na Grécia e na Europa, que o movimento operário popular ainda não passou para uma fase de contra-ataque dinâmico e ainda mais massivo. Temos plena consciência de que, dentro das amplas camadas do povo, prevalecem as demandas reduzidas, o derrotismo, o fatalismo, como resultado da desmobilização e da participação reduzida no movimento.

Acreditamos que essas pessoas têm uma posição muito mais positiva em relação ao KKE, monitora suas posições, está atento, embora ainda não tenha sido convencido a dar um passo mais decisivo.

Os resultados eleitorais do SYRIZA registram o descontentamento popular em relação ao seu governo, que nos últimos anos implementou políticas antipopulares, dando continuidade ao trabalho dos governos ND e PASOK, atormentando as pessoas com provisões de “migalhas”, algo que a própria ND também proclamou.

Não é, contudo, positivo que as pessoas estejam se voltando para escolhas mais antigas e fracassadas, como ND e PASOK / KINAL ou outras forças que estão sendo apoiadas e preparadas para desempenhar o papel de baluartes ou complementares da gestão de um governo antipopular.

O SYRIZA tem enorme responsabilidade porque, com suas políticas, permitiu que ND e PASOK parecessem ter justificativas para seu trabalho antipopular anterior. Em essência, isentou-os de qualquer responsabilidade.

É positivo que o Aurora Dourada (partido de extrema direita) tenha caído do terceiro para o quinto lugar e que o KKE esteja à frente. É claro que mudanças de posição, como as relativas à Solução Grega, constituem a reformulação de uma cena política reacionária antipopular.

Os resultados do KKE enviam uma mensagem de esperança aos partidos comunistas e forças militantes em outros países que estão lutando em condições difíceis para traçar uma linha radical de recuperação e reagrupamento do movimento comunista e operário pela Europa, longe de seu abraço mortal com a socialdemocracia, o embelezamento da UE ou a ilusão de poder reformá-la em prol do interesse do povo e da política de integração e participação na gestão burguesa antipopular.

É um fato positivo que nestas eleições se manifestou uma certa tendência de unir forças com o KKE, de pessoas que lutaram conosco em anos anteriores no movimento dos trabalhadores e agricultores, militantes da arte, cultura e desporto, assim como membros das forças armadas e forças de segurança, algumas das quais já haviam feito outras escolhas políticas.

Essa tendência de unir forças com o KKE expressa processos positivos que trabalharemos para multiplicar nos locais de trabalho, nos bairros da classe trabalhadora, nas áreas rurais, dentro do movimento e não nos bastidores do parlamento. Estamos confiantes de que tais processos ainda mais positivos acontecem nos locais de trabalho e nos bairros. Essa tendência deve ser ampliada à medida que nos aproximamos das eleições parlamentares.

No dia seguinte às eleições, encontraremos novas forças no caminho do contra-ataque, no caminho da luta política e de massas. Votos para o KKE serão afirmados a partir de amanhã de manhã, em todos os lugares, em todos os bairros, nas escolas, nas universidades para bloquear novos retrocessos, reivindicar medidas de socorro aos desempregados, para reconstruir o movimento popular dos trabalhadores, para a Aliança Social.

O KKE continuará a mostrar o caminho para uma saída genuína e solidária para o nosso povo, juntamente com a preparação para um duro confronto e luta pelo alívio para os trabalhadores, desempregados, lares populares, reformados, jovens, todos aqueles que estão sofrendo; para bloquear medidas piores vindas das administrações locais antipopulares nos municípios e nas regiões; bloquear novas medidas antipopulares governamentais; exigir satisfação para as necessidades populares contemporâneas. Estaremos atentos e dispostos a enfrentar os projetos perigosos dos EUA-OTAN, que estimulam rivalidades na região, nas quais o governo do SYRIZA participa ativamente, com o acordo substancial das outras partes.

Estamos enfrentando a batalha das eleições parlamentares no final de junho. Nós travaremos esta batalha com otimismo, contra as dificuldades e perplexidades colocadas pelo bloco dominante, que serão fortalecidas ainda mais em nome de algumas pequenas diferenças, que não mudam em essência a associação estratégica entre SYRIZA, ND e os outros partidos. Conclamamos especialmente aos trabalhadores, progressistas e militantes para não cederem às chantagens que se intensificarão no próximo mês.

Nosso slogan continua sendo necessário e oportuno.

Com um KKE poderoso, podemos fazer uma grande diferença, para que exista uma oposição genuína do povo, um apoio genuíno para as pessoas que enfrentam todos os governos antipopulares que surgirão, para que um verdadeiro muro seja levantado contra a extrema-direita e o fascismo, o conservadorismo, para que possamos abrir caminho junto com o povo como genuíno líder do desenvolvimento social.

Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)

Fonte: https://inter.kke.gr/en/articles/KKE-emerges-as-a-consistent-force-of-resistance/

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar