Publicidade

Diário Liberdade

[Rodrigo A. de Lima Araújo] O medo é uma estratégia utilizada pela plutocracia para se manter no exercício do poder.

Publicado em Brasil

Uma captura é uma forma de violência. Uma dívida baseada na violência é ilegítima, mesmo que aceite pelas classes políticas, onde coabitam corruptos e distraídos. Só quanto a produtos derivados criados pelo sistema financeiro cabe a cada ser humano $ 125000; e, mesmo se se contentassem com juros na ordem dos 3%, cada ser humano, em média teria de contribuir, por ano com $ 3750 para a engorda do capital financeiro.

Publicado em Mundo

A dívida imputada pelo sistema financeiro e pela classe política não é nossa. É ilegítima porque dela nada resulta a favor do povo e aceitá-la é legalizar o roubo do nosso futuro.

Publicado em Mundo

A dívida, ao tornar-se perpétua constitui uma renda que alimenta o parasitismo capitalista. Quer seja aquela que subscrevemos, quer seja aquela que a classe política nos endossa com o rótulo de dívida pública, por encomenda do sistema financeiro.

Publicado em Mundo

Portugal vive uma “soberania limitada”, afirmou na sua intervenção perante o Pleno do XX Congresso Carlos Carvalhas, quem falou da saída do euro com maior clareza do que Jerónimo de Sousa no acto de abertura.

Publicado em Portugal
Terça, 22 Novembro 2016 15:51

A dívida como troca

Os sacrifícios e jogos que se celebravam nos locais funerários como festas dos mortos produziram finalmente a forma secularizada da religião: a sociedade de trocas.” Horst Kurnitzky, Estrutura libidinal do dinheiro.

Publicado em Mundo
Recentemente, falou-se na Assembleia da República em reestruturação da dívida pública. No habitual discurso tecnocrático sobre o assunto por parte da classe política, tenta-se manter a plebe ensopada em refrescos gelados carregados de açúcar. Uns defendem o “pagamos obedientemente”[1]; outros preferem um “pagamos obedientemente mas agradecemos uma atençãozinha”[2]
Publicado em Portugal

Por Jonathan Stevenson*

O povo de Moçambique acaba de descobrir que o seu governo recebeu US$1,1 mil milhões de empréstimos secretos , não incluídos anteriormente nas contas públicas. Isto significa que a dívida total do país – já preocupantemente elevada – é 15% maior do que se pensava anteriormente. Trata-se de um grande escândalo político em Moçambique, mas tudo isto começou aqui no Reino Unido. 

Publicado em África/Ásia

[Gustavo Galvão Pedro e João Roberto Lopes Pinto] Lucro líquido dos cinco maiores bancos segue subindo e batendo recordes históricos.

Publicado em Brasil

O governo moçambicano pretende reduzir os gastos em bens e serviços na ordem de 40 por cento em resposta à grave crise financeira, indica o plano de austeridade que será apresentadopróxima semana ao parlamento. 

Publicado em África/Ásia

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar