Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Sexta, 03 Novembro 2017 09:56 Última modificação em Terça, 07 Novembro 2017 17:43

Porto: especulação imobiliária ataca último bairro operário

Avalie este item
(0 votos)
País: Portugal / Laboral/Economia / Fonte: Abril Abril

A Câmara do Porto vai avaliar a possibilidade de compra do centenário Bairro do Cruzinho, no Campo Alegre. Moradores do último bairro operário daquela zona da Invicta estão a ser pressionados para sair.

Foi na reunião pública da Câmara do Porto, na passada terça-feira, que a CDU apresentou a proposta de aquisição e salvaguarda do Bairro do Cruzinho, no Campo Alegre. O objectivo, realça a vereadora Ilda Figueiredo, é o de preservar a memória industrial e operária da cidade, mas simultaneamente proporcionar melhores condições de habitação.

A recomendação, explica, surge «depois de conversar com os moradores mas também com outras pessoas, como Germano Silva, historiador da cidade e que ali viveu em criança e jovem, terem alertado para a necessidade de salvaguardar esta memória da cidade».

Depois da discussão, esta terça-feira, o presidente Rui Moreira admitiu que a Câmara vai estudar esta proposta de aquisição do Bairro do Cruzinho, uma vez que a zona não está classificada e o município não tem o direito de preferência.

A vereadora sublinha, no entanto, que o compromisso é defender o bairro e os seus moradores, com novos alojamentos e rendas acessíveis, abrindo a porta a jovens casais e estudantes universitários, atendendo à proximidade dos estabelecimentos de Ensino Superior.

«Resistiu até hoje, é uma pena se não se salvaguarda»

Sobrevivente à desindustrialização da cidade, o Bairro do Cruzinho, admite a vereadora, «está a ser objecto de tentativa de transformação e alvo da especulação imobiliária», com os moradores a serem pressionados pelos proprietários a sair. «Só é possível salvaguardá-lo se a Câmara intervir», frisa.

No total são 48 habitações. Há várias entaipadas e degradadas, e apenas 13 estão habitadas, tendo sido reabilitadas pelos próprios moradores. Na descrição deste bairro construído em 1895, Ilda Figueiredo revela que tem características «muito peculiares e que importa preservar».

«É um bairro com muito espaço, com quintais, construído para acolher os operários que vinham trabalhar para a zona do Campo Alegre e que precisavam de alojamento. Uma zona, por sinal, muito industrializada, onde havia fábricas importantes como a Fábrica de Fiação e Tecidos do Jacinto», esclarece.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar