Publicidade

Diário Liberdade

Em Novembro de 2013, o parlamento escocês apresentou um referendo ao governo do Reino Unido para a independência da Escócia. O voto para finalizar esta decisão por parte do povo escocês ocorreu quase um ano depois da proposta ser apresentada ao governo britânico. Foi então a 18 de Setembro de 2014 que os escoceses votaram sobre a independência da Escócia do Reino Unido, uma decisão bastante renhida, com 55% dos votos a rejeitar a separação da Escócia doresto do Reino Único como um país independente, em muito justificado com interesse em manter a Escócia conectada à União Europeia. Com apenas 400 mil votos a definir a decisão final, esta votação foi a de maior adesão de sempre no Reino Unido, com 84.6% dos qualificados para votar terem comparecido no dia do voto.

Publicado em Mundo
Domingo, 30 Setembro 2018 14:01

Theresa May e o labirinto do Brexit

A menos de 200 dias da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), prevista para o dia 29 de março de 2019, o descontentamento e a insegurança crescem nesse país, bem como a possibilidade da destituição de Thereza May e de um segundo referendo.

Publicado em Mundo

[Neil Clark, Tradução do Coletivo Vila Vudu] E bem quando você pensou que nada de mais ridículo poderia acontecer com as teorias da conspiração anti-Rússia ... aconteceu!

Publicado em Mundo
Quinta, 15 Setembro 2016 13:01

BREXIT: outra Europa é posible

O pasado 23 de xuño, mentres en Francia a clase obreira enfrontaba a reforma laboral do goberno Hollande e a UE, en Gran Bretaña celebrábase un referendo para decidir se seguían na Unión.

Publicado em Opiniom Própria

[Pisani-Ferry] Mesmo os epígonos do sistema do capital, como é o caso de Jean Pisani-Ferry, têm dificuldade em esconder a frustração que a União Europeia e outras estruturas de domínio do capital monopolista provocam nos cidadãos.

Publicado em Mundo
Sábado, 09 Julho 2016 15:55

O Brexit redefine a geo-política mundial

[Thierry Meyssan] Enquanto a imprensa internacional procura meios para relançar a construção europeia sempre sem a Rússia, e agora sem o Reino Unido, Thierry Meyssan considera que nada mais poderá evitar o afundamento do sistema. Entretanto, sublinha ele, aquilo que está em jogo não é a União Europeia, em si mesma, mas o conjunto das instituições que permitem a dominação dos Estados Unidos no mundo e a própria integridade dos Estados Unidos.

Publicado em Mundo

[Michael Hudson] Os media nos Estados Unidos trataram a votação do Brexit contra a permanência na União Europeia (UE) como se fosse um "trumpismo" populista, uma votação inarticulada surgida da ignorância daqueles deixados para trás pela política de crescimento económico neoliberal.

Publicado em Mundo
Sexta, 01 Julho 2016 00:00

Many Thanks to the English Working Class

[João Rodrigues] Peço desculpa ao leitor pelo título em inglês. Sei bem que o inglês e os anglicismos são uma praga evitável.

Publicado em Mundo
Quarta, 29 Junho 2016 15:09

A crise na Inglaterra acelera a crise mundial

[Alejandro Acosta] A vitória do “Brexit”, o referendo pela saída da União Europeia, teve como base o aprofundamento da crise capitalista mundial. Mesmo que veja a ser revertido por meio de manipulações ou de novos acordos, o estrago já foi feito. O nacionalismo separatista voltou a se exacerbar, após os resultados do “Brexit” mostrarem que ele não triunfou na Escócia nem na Irlanda do Norte. O governo escocês já começou a se movimentar para a realização de um novo plebiscito pela separação do Reino Unido. Até no pacato País de Gales já começaram a ecoar vozes no mesmo sentido. Isso sem mencionar as pressões por referendos parecidos na Áustria, onde por muito pouco a extrema direita não triunfou nas recentes eleições presidenciais; na Polônia, onde a extrema direita já tem maioria parlamentar e controla a presidência da República; na Holanda; na Bélgica; nos países nórdicos; na Itália e, principalmente, na França, que representa um dos principais componentes da União Europeia, onde a extrema direita, agrupada na Frente Nacional, não para de crescer, enquanto a direita agrupada no novo Partido Republicano, reciclado por Nicolás Sarkozy, a partir da UMP, assumiu uma agenda política muito mais direitista.

Publicado em Mundo
Terça, 28 Junho 2016 19:46

Porque os britânicos disseram não à Europa

O voto maioritário dos britânicos a favor do abandono da União Europeia foi um acto de democracia pura. Milhões de pessoas comuns recusaram-se a serem ameaçadas, intimidadas e descartadas pelo desrespeito descarado dos seus supostos líderes à frente dos principais partidos, dos negócios, da oligarquia bancária e dos media.

Publicado em Opiniom Própria

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar