Publicidade

Diário Liberdade
Domingo, 31 Dezembro 2017 06:28

O que não se diz ao falar do 'hacking russo'

[Jackson Lears, Tradução do Coletivo Vila Vudu] A política nos EUA só muito raramente exibiu espetáculo mais desalentador. As atitudes repelentes, grotescas e perigosas de Donald Trump são incômodas que chegue, mas também é horrorosamente incômodo o fracasso da liderança do Partido Democrata, que absolutamente não é capaz de se dar conta do que significou a campanha eleitoral de 2016. O desafio que Bernie Sanders impôs a Hillary Clinton, combinado ao triunfo de Trump, revelou a extensão da fúria popular contra a política de sempre, dos EUA – essa mistura de política doméstica neoliberal e política externa intervencionista que é consenso em Washington. Os neoliberais celebram a serventia do mercado como único critério de valor; os intervencionistas exaltam o aventureirismo militar em outros continentes como meio para combater o mal, de modo a preservar o progresso global. Essas duas agendas já se mostraram calamitosas para a maioria dos norte-americanos.

Publicado em Mundo

[Patrick Buchanan, Tradução do Coletivo Vila Vudu] Dia 9 de agosto de 1974, Richard Nixon rendeu-se à inevitabilidade do impeachment e à condenação por um Senado Democrata e renunciou.

Publicado em Mundo
Segunda, 23 Outubro 2017 14:58

Clinton, Assange e a guerra contra a verdade

Dia 16 de outubro a Australian Broadcasting Corporation, ABC Australia, pôs no ar uma entrevista com Hillary Clinton: uma de muitas para promover seu livro no qual estabelece uma dita sua verdade sobre por que não foi eleita presidenta dos EUA.

Publicado em Opiniom Própria
Terça, 10 Janeiro 2017 11:59

A eleição da vulgaridade

[Rafael Silva; Laboratório Filosófico] Um dos maiores talentos de Donald Trump, presidente eleito dos Estados Unidos, é a sua capacidade de ser criticado. Há poucos dias, a atriz Meryl Streep o criticou em uma famosa premiação cinematográfica. A plateia que a assistia ao vivo e os Trump-haters de todo o mundo aplaudiram-na. Todavia, quase a mesma quantidade de gente – eleitores norte-americanos e admiradores Worldwide do futuro presidente – rechaçaram-na. Até aí tudo bem, afinal, oposição de opiniões cai muito bem à democracia. Porém, como não podia deixar de ser, o ato mais criticável de todos a respeito do ocorrido no Globo de Ouro foi mesmo o de Trump.

Publicado em Opiniom Própria

Entrevista realizada pelo jornalista uruguaio Efraín Chury Iribarne com o sociólogo estadunidense James Petras, professor da Universidade de Binghamton.

Publicado em Mundo
[Pepe Escobar; Tradução do Coletivo Vila Vudu] Assim está terminando o governo Obama: não numa explosão, mas numa patética lamúria.
Publicado em Mundo
Quarta, 16 Novembro 2016 10:18

Trump: Alguns números

[R.W. Johnson, London Review of Books (online), Tradução do Coletivo Vila Vudu] "Mas gênero não é identidade de coesão em termos eleitorais. Na hora de as mulheres decidirem o próprio voto sempre predominam as divisões por classe e por etnia. (...) 2016 foi a eleição em que o peso da classe se fez ver mais claramente que em todas as eleições anteriores desde o New Deal. (...) A velha classe política foi derrubada. Clinton ainda mantém os ricos, mas perdeu a classe trabalhadora. Os trabalhistas ingleses ganham Londres, a porção mais rica do Reino Unido, mas perderam os trabalhadores para o Partido Independente e para o Partido Nacional Escocês. Estamos em território ainda não mapeado. (...) Clintons e Blairs surfaram por cima das dores e das desigualdades sociais, cuidando de enriquecer e deixando os eleitores para trás, comendo o pão que o diabo amassou. A classe trabalhadora percebeu esse 'desenvolvimento', e aí está uma das razões pelas quais a velha política já não funciona."
Publicado em Mundo

[Boulevard Voltaire, Tradução do Coletivo Vila Vudu] Hollywood está em surto, tomada pelas paixões, depois da eleição surpresa de Donald Trump. O mundo superficial dos vestidos 'de griffe' e dos risos gravados para repetição infindável divide-se hoje entre prostração e histeria, como o demonstram as reações de algumas 'estrela' que apoiaram apaixonadamente a candidata do Partido Democrata. Celebridades como Michelle Rodríguez, Snoop Dogg e Lady Gaga montaram ao palco para denunciar o resultado da eleição.

Publicado em Mundo

[John Hellmer, Tradução do Coletivo Vila Vudu] A geografia da eleição nos EUA essa semana é coisa jamais vista. E ali aconteceu a maior derrota jamais infligida, em toda a literatura moderna. – Foi a capacidade dos norte-americanos para compreender o valor verdade do que lhes dão para ler e lhe dizem pela TV, rádio, mídias sociais e internet.

Publicado em Mundo

O The New York Times tem uma página interativa muito interessante, onde podemos consultar a distribuição de votos nas eleições presidenciais por diferentes segmentos (sexo, raça, renda, idade, grau de escolaridade, etc), e ainda comparar essas distribuições entre diferentes eleições (comparar 2016 com 2012 ou 2008, por exemplo). Uma informação importante que podemos extrair daí é, por exemplo, que, embora Clinton tenha tido a maioria dos votos negros, latinos e jovens, não o conseguiu na mesma proporção que Obama em 2012. Mesmo entre as mulheres, Hillary perdeu 1% em relação a Obama. Já Trump, apesar de todo seu discurso impregnado de racismo e machismo, conseguiu ampliar o voto republicano nos segmentos negro e latino, manteve no segmento jovem e perdeu muito pouco no segmento feminino.

Publicado em Mundo

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar