Publicidade

Diário Liberdade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Terça, 13 Março 2018 20:53 Última modificação em Terça, 13 Março 2018 20:59

O pessimismo deles anima-nos

Avalie este item
(0 votos)
País: Portugal / Batalha de ideias / Fonte: Avante!

[Filipe Diniz] Duas luminárias das crónicas de direita manifestaram este fim-de-semana o seu pessimismo, tanto em relação ao nosso País como em relação à UE.

Um (Vicente Jorge Silva, no Público), recorre abundantemente a um truque reles: apreensivo com o crescente peso eleitoral da extrema-direita em muitos países europeus, tenta expor o confronto entre dois pólos: de um lado «forças xenófobas e eurocépticas» (e «antieuropeias»), do outro «as correntes progressistas e pró-europeias». Formula uma das fraudes ideológicas que conduz ao problema que agora o aflige. É que progressismo e «pró-europeísmo da UE» não coincidem e o que não falta é crescente xenofobia na evolução da UE, como vem estando flagrantemente comprovado com a forma como lida com a vaga de refugiados oriundos de países em cuja ocupação e destruição participa.

António Barreto (no DN) derrama o seu pessimismo sobre a triste condição do capitalismo português: «com excepção de dois grupos ligados ao retalho, já não há capital português a sério [...] Quase não há capitalistas portugueses». E adianta, com carradas de razão: «em muito pouco tempo, Portugal viu-se desprovido de autonomia, mesmo relativa, nas áreas das comunicações, dos telefones, dos petróleos, da distribuição de energia, da produção de electricidade, das celuloses, dos cimentos, do papel, da reparação naval, da banca e dos seguros, e a comunicação social já vai a caminho». Fala de «um pobre país». Já não, como Salazar, de um país pobre em recursos, mas de um país pobre em capitalistas. E depois de divagar entre as impossibilidades de superar tal situação, remata: «Sem a UE a tomar conta, teremos as aventuras revolucionárias e solitárias de que os românticos, os déspotas e os adolescentes tanto gostam».

«Aventuras» cuja pior perspectiva seria, para qualquer destes dois pessimistas, essa coisa de pesadelo: um Portugal que dispense os grandes capitalistas e esteja livre do «progressismo» da UE.

Diário Liberdade é um projeto sem fins lucrativos, mas cuja atividade gera uns gastos fixos importantes em hosting, domínios, manutençom e programaçom. Com a tua ajuda, poderemos manter o projeto livre e fazê-lo crescer em conteúdos e funcionalidades.

Doaçom de valor livre:

Microdoaçom de 3 euro:

Adicionar comentário

Diário Liberdade defende a discussom política livre, aberta e fraterna entre as pessoas e as correntes que fam parte da esquerda revolucionária. Porém, nestas páginas nom tenhem cabimento o ataque às entidades ou às pessoas nem o insulto como alegados argumentos. Os comentários serám geridos e, no seu caso, eliminados, consoante esses critérios.
Aviso sobre Dados Pessoais: De conformidade com o estabelecido na Lei Orgánica 15/1999 de Proteçom de Dados de Caráter Pessoal, enviando o teu email estás conforme com a inclusom dos teus dados num arquivo da titularidade da AC Diário Liberdade. O fim desse arquivo é possibilitar a adequada gestom dos comentários. Possues os direitos de acesso, cancelamento, retificaçom e oposiçom desses dados, e podes exercé-los escrevendo para diarioliberdade@gmail.com, indicando no assunto do email "LOPD - Comentários".

Código de segurança
Atualizar

Publicidade
Publicidade

Quem somos | Info legal | Publicidade | Copyleft © 2010 Diário Liberdade.

Contacto: info [arroba] diarioliberdade.org | Telf: (+34) 717714759

Desenhado por Ritech

O Diário Liberdade utiliza cookies para o melhor funcionamento do portal.

O uso deste site implica a aceitaçom do uso das ditas cookies. Podes obter mais informaçom aqui

Aceitar